Compras na TV, as marcas Direct to Consumer e publicidade e a crise laboral nas grandes tecnológicas – e74s01

podcast marketing portugal por idiotas

Compras na TV, as marcas Direct to Consumer e publicidade e a crise laboral nas grandes tecnológicas – e74s01

Episódio 74
49:35

Neste episódio Marketing por Idiotas falamos de Compras na TV, as marcas Direct to Consumer (D2C) e publicidade e a crise laboral nas grandes tecnológicas.

Episódio de: 22 de Junho, 2022

Download do podcast

MIGUEL

https://www.marketingdive.com/news/walmart-roku-shoppable-streaming-ads-QR-codes/625699/

Temos vindo a falar nos últimos tempos do netflix com anúncios e o que isso vai significar para a experiência do utilizador…

Não sabemos se os anúncios vão ser intrusivos, vão obrigar-nos a esperar 30 segundos a meio de séries e filmes, nem o que vai acontecer.

Hoje não venho falar do netflix mas venho falar de uma nova parceria da wallmart.

A walmart e a roku, um serviço de streaming que também tem hardware ao estilo de uma PEN que se liga por HDMI a uma televisão e a transforma numa smart tv, estão acriar uma experiência em conjunto de video stream shopping.

A ideia é criarem uma experiência de compra sem fricção na televisão, muito para além da utilização de QR CODES.

Com os QR CODES a pessoa tem de usar o smartphone…aceder a um site…e o processo normal.

Neste sistema é bem diferente!

O sistema vai ser algo do género: A pessoa está a ver diferentes conteúdos da plataforma ROKU e surgem anúncios no ecrã da wallmart…a pessoa com alguns cliques do botão OK no comando da ROKU completa o checkout e faz o pagamento simples com o serviço ROKU PAY.

A wallmart envia de seguida um email para o cliente completar a encomenda e está feito!

O wallmart é o retalhista com exclusividade neste sistema… e lembramos que já falamos aqui no passado de que o wallmart também está a lançar-se no mundo das plataformas de anúncio…isto pode ser interessante!

Esta tecnologia vai ter possibilidade de segmentação

A minha pergunta para o painel é:

Acham que este estilo de VIDEO SHOPPING é interessante?

Será que o caminho para a publicidade no netflix poderá passar por algum destes sistemas que com o comando do próprio netflix conseguimos ver o anúncio clicar e fazer checkout fácil?

 

 

DIOGO  

Num recente relatório da emarketer que fala sobre as marcas Direct to consumer. O que são marcas Direct to Consumer:
Direct-to-consumer, D2C, ou vertical-commerce, é um modelo de negócio verticalizado no qual se remove intermediários na cadeia de produção e distribuição, e vende-se diretamente para o cliente final.
ou seja marcas como a oneplus, fitbit, etc. A verdade é que, segundo a emaketer, e mesmo outras fontes que temos vindo a referir em podcasts passados, o preço para anunciar online está a aumentar cada vez mais o que pode dificultar a vida das D dois C, principalmente aquelas nativas online, que dependem fortemente de investimento publicitário online para sobressair ou gerar retorno direto. 

Penso que todos estamos a sentir um pouco o aumento dos CPCs por exemplo e isso está a afetar o nosso investimento e possivelmente o lucro das empresas que tendem a retirar a sua margem para absorver esse aumento do custo publicitário. 

Meus amigos, a minha questão para vocês é simples: pensam que será este o fim das marcas D dois C digitalmente nativas?

https://www.emarketer.com/content/d2c-brands-2022 

                                                                                                                                                        

FRED

 

A indústria tecnológica está com algumas caras carrancudas neste momento. 

 

Os preços das ações e das moedas criptográficas estão a afundar-se e a ansiedade está a aumentar. 

Parece que dia sim, dia não há notícias do estrangeiro de alguma empresa de tecnologia a despedir trabalhadores ou colocar a contratação em espera. 

 

Exemplos das duas últimas semanas:

– A Coinbase, ligada à criptografia, disse que estava a cortar 18% da sua força de trabalho o que significa o despedimento de 1.100 postos de trabalho 

– Elon Musk enviou um email aos diretores da SpaceX e Tesla a solicitar a suspensão de contratações. A Tesla despediu, cerca de 500 funcionários da fábrica de Nevada, alegadamente sem dar aviso prévio.

– No mercado das fintechs a empresa brasileira Grupo Primo, que pertence a Thiago Nigro (também conhecido como Primo Rico), o maior influencer de finanças do Brasil, informou ter demitido 20% da forma de trabalho ou seja 55 pessoas.
– Na Robinhood, foram demitidas cerca de 300 pessoas.

 

A dor é real para as pessoas que perdem os seus empregos, mas atrás disto está este quadro mais amplo: 

O mercado de trabalho nas empresas de tecnologia, e para as pessoas com competências de alta tecnologia, está em chamas e mantém-se assim – pelo menos por agora.

 

Dia 21 de junho terça-feira foi anunciado que a taxa de desemprego em Portugal segundo notícia do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social tem o  valor de desemprego “mais baixo dos últimos 19 anos”. A projecção para o final do ano é de 5,4%

 

Pergunta: Acham que há sinais de que a contratação de tecnologia a nível mundial está a arrefecer? Será que Portugal também vai arrefecer nas contratações ou vamos sair beneficiados neste cantinho da Europa?

 

Projecções >

 

[RAPIDINHAS – NOTÍCIAS DE MARKETING DIGITAL EM PORTUGAL E NO MUNDO ]

 

[FERRAMENTA DA SEMANA]

https://www.bardeen.ai/marketing 

 

Sobre o Podcast Marketing por Idiotas

podcast Marketing por Idiotas é um podcast sobre marketing em Portugal. Neste podcast semanal falamos sobre notícias, irritações e inquietações sobre marketing digital e analógico.

O podcast é apresentado e moderado pelo Diretor de Marketing da Turim Hotéis, Ricardo Vieira e tem como comentadores com lugar cativo o freelancer Diogo Abrantes da Silva, o formador e consultor Frederico Carvalho e o CEO da pkina.com e funis.pt Miguel Vieira.

Ouvir podcast marketing por idiotas

Temas no podcast

01:07
Temas
37:10
Rapidinhas

Neste episódio


Apresentador 2
Olá a todos bem-vindos ao podcast de marketing por idiotas. Os temas de Hoje são as marcas são caretas, o que aconteceu ao marketing real e, por último, a tecnologia precisa de mais regulação ou apenas de ajustar prioridades se querem saber mais, fiquem por aí.
Apresentador 2
ISTO é um Marco de prioridade as Olá, Olá a todos, então sejam muito bem vindos ao podcast marketing por idiotas. O vosso podcast favorito de marketing, negócios e a tecnologia Olá, Diogo.
Apresentador 2
Hoje é mesmo assim, Olá.
Apresentador 2
Fred Olá.
Apresentador 2
E Olá Miguel Alô bom, vamos lá continuar para os temas, mas antes de mais só relembrar podcast. Temos o momento de Shadow Twitter que a semana passada falhámos redondamente.
Apresentador 2
Desde já desculpa por essa falha monumental, mas esta semana vamos ter. Podem também seguir-nos e interagir connosco no Twitter através do nosso handle marketing idiota.
Apresentador 2
Temos também o momento das rapidinhas. As notícias mais importantes da semana, em formato rápido e, por último, a poderosíssima e sempre útil ferramenta da semana. Miguel, sem mais demoras, porque Hoje estamos aqui em modo meio.
Apresentador 2
Fazer a fala-nos então do teu Tema que as marcas são caretas, que é?
Apresentador 3
Que se passa e eu Hoje trago um Tema assim, um pouco mais espirituoso, eh pá? O Tema ideal para abrirmos uma garrafa de meninos, abrirmos um copo a ISTO é sobre um relatório da Oracle e de um podcast que indica que 91% das pessoas preferem que as marcas sejam divertidas. No entanto, 95% dos líderes de negócios têm medo de utilizar humor a interações com os consumidores. O mesmo relatório indica também que 45% das pessoas não sentirão verdadeira Felicidade NOS últimos 2 anos. Oh pá.
Apresentador 3
Este relatório chama-se o relatório da Felicidade, que descobriu que 90% das pessoas têm mais tendência a lembrar se o anúncio engraçado e 72% das pessoas preferem optar por uma marca divertida do que por outra mais careta é pá ISTO aqui alguns números, mas basicamente o pessoal gosta de coisas mais divertidas. OKA. Apesar destes dados avassaladores que indicam que a Malta quer é palhaçada, apenas 20% das marcas afirmam utilizar o meu.
Apresentador 3
E ao longo da minha vida, aprendi uma dura lição. Há sempre que alguém, principalmente se for um superior hierárquico, me diz, olha, queres ver uma coisa para te rires, eh pá, A minha resposta devia ser fugi dali para fora a correr, porque geralmente não sei se ISTO vos acontece, mas geralmente somos bombardeados e com vídeo de um ou 2 minutos, eh pá, que parecem 2 horas onde ouviu onde vamos ouvindo sempre a pessoa dizer, olha, espera que está quase está quase eh pá e no final nós estamos piada nenhuma, mas temos pronto, temos de NOS rir porque é o.
Apresentador 3
Futebol não é? Será que será que? Porque que esses 20% das marcas que dizem que usam humor na realidade também são 11 destas experiências horríveis de humor? A volta do relatório, que contou com 12000 participantes, parece que a Paty fez aumentar a ansiedade e depressão em 25%, deixando os consumidores à espera de novas experiências mais divertidas a os últimos dados que eu vou lançar Hoje sobre 48% de zicri.
Apresentador 3
Mas dizem que não acreditam que tenham uma relação com uma marca, a não ser que a marca os faça, se rir ou sorrir. Isso explica um bocadinho o motivo pelos quais os clientes do iPhone tem uma forte relação com a marca. Não é preciso bom humor para aceitar que as atualizações de firmware façam só o telemóvel fica mais lento e, mesmo assim, querer comprar o próximo a relativamente. ISTO é para Ricardo. Relativamente a e-mail marketing, é esta interessante, 69% dos inquiridos dizem que abrem provavelmente o e-mail, desde que tenha bom humor refletido no assunto.
Apresentador 3
Eu para acabar aqui, o meu take, quero lançar uma nova estratégia para as empresas de cobrança de dívidas difíceis.
Apresentador 3
É tem que começar a ser um bocadinho mais bem dispostos em vir, por exemplo, enviar e-mails.
Apresentador 3
Com o assunto.
Apresentador 3
Miguel, a sua dívida foi paga por um amigo e lá dentro dizerem estávamos a brincar. Utilize esta entidade e referência.
Apresentador 3
É uma boa estratégia, pelo menos para abrir ou para eu abrir e-mail. As minhas questões aqui para o painel, incluindo também Oo. Ricardo, visto visto de trabalho em hotelaria, onde o bom humor está sempre presente. Vocês já utilizaram humor nas vossas marcas ou nas marcas de clientes? O que é que pode explodir?
Apresentador 3
É é fácil. É fácil utilizar humor numa marca e funciona o que é?
Apresentador 2
Que vos parece muito bem querido.
Apresentador 2
Painel Hoje não posso responder a questões Miguel, mas obrigado pela questão que me colocaste, não, mas eu por acaso vou adicionar uma questão, a tua vê lá que.
Apresentador 2
Eu Hoje vou.
Apresentador 2
Vou aqui adicionar valor, tentar adicionar valor obrigado a quem desligou microfone Tentar adicionar um valor brutal porque Eu Não sei se já tinha falado convosco a partilhado ISTO, mas vou partilhar Hoje eu gosto da da.
Apresentador 2
Mas que é relativamente à.
Apresentador 2
Há uma espécie de falta de humor, não é de humor, mas de sentido de risco dos anunciantes portugueses que não, que não publicam nada assim com com grande sentido de humor.
Apresentador 2
Às vezes nós vemos anúncios nos Estados Unidos que tem sentido de humor brutal, não é? E risco e parece um bocadinho na linha e no limite, chamemos assim é que em Portugal não se vê esse anúncio assim, super divertido. Se a gente nós vemos até nós já.
Apresentador 2
Várias vezes falamos de anúncios do Super Bowl, são sempre mais arriscados e assim, no limite do humor. E parece que em Portugal não há isso, portanto, é um bocadinho a linha Miguel daquilo que tu tu falaste e só para deixar também a nota e marketing por idiotas.pt fica lá o link presumo eu para o relatório, porque Miguel 10 tem uma data de números e no Estado em que eu estou, não apanhei nem 2. Portanto, quem NOS está a ouvir para ouvir com calma tem também o marketing3.pt com o.
Apresentador 2
Link para o.
Apresentador 2
A para os dados do Report que agora falaste fé.
Apresentador 4
Já agora é só para os nossos ouvintes terem enquadramento. O Ricardo não está doente, eles apenas está sobre animado.
Apresentador 2
Obrigado. Obrigada.
Apresentador 4
Pronto mas eu, mas é. São 2 perguntas pertinentes. Eu e pegando aqui numa só, queria fazer aqui um apontamento que eu li uma notícia que Portugal é quinto, magérrimo, sexto país mais feliz do.
Apresentador 4
Fundo, ou seja, pelo facto de nós não estarmos Na Na no Top 10, estamos muito cá para baixo, portanto 56, que quem lidera a tabela do país mais feliz do mundo é a Finlândia. Eu acho que ISTO é uma consequência também do nosso marketing. ISTO é, se nós não somos assim, um país tão feliz, talvez o mar também se reflita em campanhas, ganhe mais sisudas, talvez fique a hipótese de o que.
Apresentador 5
É que tu achas. Eu Não tenho a certeza que que seja uma questão de nós não termos humor e também não tenho.
Apresentador 5
A certeza de o.
Apresentador 5
O que é que as pessoas querem ver versus o que é que ela, o que é que depois têm feito?
Apresentador 5
Não é? São coisas distintas, não é?
Apresentador 5
É porque uma coisa é uma campanha de ter piada e o utilizador se recordar da campanha. Outra coisa é quando uma campanha não é engraçada, mas realmente é eficiente, não é? EE comuniquem e consegue realmente a ter resultados, portanto, acho que há aqui uma questão de a um àquilo a percepção do que é que o utilizador quer?
Apresentador 5
Ver a mas não sei se há uma percepção clara para o utilizador, já sabem que eu falo sempre em utilizadores? Estou a falar do de de pessoas, mas AA questão de não tem a certeza que a percepção de que se aquilo funciona ou não é.
Apresentador 5
Funcionando da mesma forma, portanto é da mesma forma. Então é isso, acho que há aí 11 desencaixe entre 1 e o outro e por outro lado, acho que também não devemos ser tudo. Acho que tudo tem o seu timing, não é tal como a própria comédia. AE, às vezes há campanhas que devem e podem ser eng.
Apresentador 5
Passadas a outras que que nem por isso, mas não podemos também estar sempre a fazer um stand up que é cada programa, a cada produto que queremos anunciar.
Apresentador 4
Eu dizer uma coisa não é, não é? Eu também não sou propriamente virado para para área da comédia, mas eu acho que se pensarmos do ponto de vista profissional, do marketing, claramente temos que causar alegria através do meio de distrato.
Apresentador 4
Divertidas, há alguns escapismo INS.
Apresentador 4
Pegador naquilo que é Hoje, o dia a dia das pessoas, a Emerson, a preocupação, sair de uma pandemia agora na guerra e criar sempre que possível, se for esse o contexto, uma imersão inspiradora, as pessoas estão à espera de algo que não tem ainda do sonho de da ambição.
Apresentador 4
ISTO, teriam sido que seriam os jargões mais aplicáveis ao marketing, portanto, acho que as marcas não podem dizer às pessoas como é que elas podem ser feliz.
Apresentador 4
Mas tentar criar Felicidade através de uma narrativa e das experiências que produzem. Talvez ISTO possa ter um enquadramento melhor naquilo que era a pergunta de Miguel.
Apresentador 2
Muito bem, é bom. Antes de passarmos ao próximo Tema, só uma reflexão para vocês, quais quais e os anúncios que vocês se lembram mais assim, muito rapidamente de da vossa adolescência, sim, da vossa adolescência essencialmente.
Apresentador 4
Eu lembro me da da bilha de gás a pluma na televisão utiliza-se até nas minhas formações com uma frequência.
Apresentador 2
OK.
Apresentador 3
Aquele vamos nessa Vanessa?
Apresentador 3
Lembra-se que.
Apresentador 2
Já falasse disso há pouco tempo. Noutro contexto, acho eu, mas acho que sim.
Apresentador 5
Eu Lembrei-me do do Beatle, do do anúncio, da Nescafé, do alcance Queen.
Apresentador 2
OK exato que ela está nascer do sol, não é? E depois ela mete a cena acac do café e a boa não eu estava, estava a dizer ISTO estava a lembrar precisamente do anúncio da tmn do estou cheinha.
Apresentador 3
Para mim ia foi esse, é o tipo de humor que.
Apresentador 3
Eu odeio.
Apresentador 2
OK muito bem esse esse, esse é o humor do Chefe, não é que está o vídeo das minhas? Não.
Apresentador 1 OK.
Apresentador 5
Pela cinema sim, mas deixa eu só adicionar que é um é um, é um isso. Esse é um ótimo pontas a trazer não é que é a aquilo que eu estava a dizer que é uma coisa.
Apresentador 2
Graça nenhuma a.
Apresentador 5
É o anúncio ser a ser bom e ser memorável, não é? É e nesse caso, em termos de branding, como foi o DTM? É doutor, sim, é agora outra coisa, é eficiência desse anúncio.
Apresentador 5
E há muitas empresas que não que realmente não estão a trabalhar para branding, não é? E não, não podemos estar a olhar nesse sentido de branding, se calhar estão a trabalhar para uma coisa mais eficiente.
Apresentador 5
E atenção, eu sou todo por comédia. Adoro comédia, não é por aí a um dia até gostava de ter piada, mas.
Apresentador 5
É é verdade é que.
Apresentador 1 Eu o.
Apresentador 5
Um o ter piada ou não o ser memorável ou não, não significa que o anúncio pode ser eficiente. Sim.
Apresentador 3
Olha, eu lembrei agora de um recente aqui o anúncio da foto, informe em que eles estão imitar aqui. O programa americano de remodelação de casas e que aparecem elas a dizer, OK, então era a casa depois e depois é imagem exatamente igual, tudo igual e os desafios de todos os gritos e tal é um anúncios para Rio e foi teve algum?
Apresentador 2
Um ter Graça.
Apresentador 4
Desses para reflexão que não me recorde de tantos anúncios. Televisão comunistas, Ricardo Luiz Pereira na Worton, sábado, Martin e Co nós.
Apresentador 2
Bruno Nogueira já disseste a não Ribeiro desculpa exato desculpa eu pensei que.
Apresentador 4
Economizar econômico exatamente.
Apresentador 2
Já tinha dito.
Apresentador 2
Tem entre Santa, entre Santa está aí.
Apresentador 5
E o da rapariga o da extremamente desagradável também.
Apresentador 4
E as bandas aconteceu o.
Apresentador 5
Agora e isso?
Apresentador 2
Franco, Joana Marques.
Apresentador 1 Foi no Mato muito bem.
Apresentador 3
Tivemos aquilo também é que os gatos do futuro em que eles ocuparam os 4 canais, o primeiro, segundo, terceiro e quarto a hora do telejornal. E esse também foi também foi assim engraçado.
Apresentador 4
Mas é.
Apresentador 4
Nós estamos a comentarista em vez de.
Apresentador 4
Documentário não seja com medo, é aplicado ao digital aquilo que NOS foi amor rapidamente, televisão, curioso, casa.
Apresentador 3
É verdade Hoje.
Apresentador 2
Faz fé bom, muito bem, eu fui lançado. A discussão é fica também aberta one em W, ponto parque empregados com PT, que é o nosso grupo de WhatsApp que você pode aderir através deste link é e lá estamos, nós estão também é vários ouvintes do nosso podcast, o nosso grupo do WhatsApp é onde nós pretendemos também um conteúdo exclusivo que esta seman.
Apresentador 5
Não é?
Apresentador 5
A então esta semana temos os é é triggers aumentais que até.
Apresentador 5
De Freddy Mendes os Gatilhos exatamente obrigado. Fred mencionou no último episódio é do cialdini do livro do Cialdini é. Acho que a influência não é Ham EE. Temos vários negativos mentais, é um é uma shit de gatilhos mensais. Aliás, é que fica partilhada no grupo, é muito.
Apresentador 3
Fim de mensagens.
Apresentador 2
Uma cx pela primeira vez partilhada no nosso Grupo do WhatsApp em do ponto de marketingpreciosas.br X é muito útil, muito bem, Diogo é o Tema desta semana.
Apresentador 2
É o que aconteceu, Martin Real, meu Expresso, uma reflexão muito profunda.
Apresentador 5
É um é um é um Martim de rei. Não é um Martin real, não.
Apresentador 5
É Oo.
Apresentador 5
O Martin do Barak.
Apresentador 5
Não estou brincando é, vamos ver quando eu digo que que um dia que estava de ter piada, enfim, exatamente.
Apresentador 2
Tudo bem, Pedro Ribeiro do Podcast, tudo bem.
Apresentador 5
Então este deixa esta semana, então está ouvindo. É 11 podcast mar tem uma está e é by the way quem quiser saber o qual do qual qual dos podcast ser a está aparelhado no grupo do WhatsApp, foram partilhados alguns de nós. Partilhamos a lista de podcasts, as quais sempre escrevemos.
Apresentador 5
A mas voltando aqui ao assunto esta semana, o Williams, um reconhecido especialista do Google, estava a mencionar uma questão no twi.
Apresentador 5
Ter é de é Hoje em dia a termos de aprender a trabalhar com algoritmo de denúncias da Google, por exemplo, é perceber quais os formatos é quais os melhores tipos de anúncio é saber como funciona medir conversões, OK? Mas é que ao concentrar NOS início, questionei, ele é, se não estaríamos nós esquecer? Oo, Martin Real, OK, se não estamos nossa deixar aqui?
Apresentador 5
A Google que seja Google não é ou outra plataforma que gira as nossas carreiras, não é? E não estamos só Consent.
Apresentador 5
Horário de seguir o que é que aquela plataforma quer fazer, o que que é o próximo passo, como melhorar et cetera versus não é é estarmos nós é a pensar no produto, no placement, no preço, na audiência.
Apresentador 5
Não é quem é que a nossa audiência? Quem é que são os nossos clientes? Estamos a investigar isso. Nós estamos a investigar isso, ou seja, perdemos um pouco essa conexão.
Apresentador 5
Não é EE entre o que é o Martin é na sua essência, verso o que que é uma gestam é apenas de 111, estojo de campanhas, como como Gledson Tiktok edição, Facebook, Twitter Net e o mais não sei o que é é e essa é. É a minha questão para vocês. 6 estaremos nós?
Apresentador 5
Eu esquecer de de de conhecer a nossa audiência é de esquecer a as bases do Martin. Que que vocês pensam?
Apresentador 2
Muito bem, excelentes questões. Quem quer começar?
Apresentador 3
Passos para começar, eu aí eu acho que é verdade, eu acho que as coisas estão no marketing digital, estão sendo diversificar.
Apresentador 3
É, eu acho que vai ser difícil termos mão em de tudo aquilo que o marketing digital NOS tem para oferecer a eu acho que nós vamos começar novamente a ter especialistas em cada plataforma.
Apresentador 3
Foi uma coisa que parece desaparecer um bocadinho e depois havia. O social Media Manager tomava conta ali mais ou menos todas as plataformas. Eu acho que vamos começar a ter especialistas focados em TIC toque outros focados em Instagram, Google, etc. Porque vai ser difícil. Nós sermos muito bons em todos. Há relativamente a esta ideia de o marketing parece estar aqui AA descaracterizar-se um bocadinho do que era antigamente. Eu acho que é verdade, eu acho que nós estamos muito focados nas métricas e nas táticas e NOS formatos de anúncios, etc. É e às vezes nós vemos muitas views.
Apresentador 3
Muitos likes, muitos clics e quanto tempo é que as pessoas viram o vídeo ou não?
Apresentador 3
É, mas na realidade são pessoas e não sabemos sequer muito bem se são pertencentes ao nosso target ou não.
Apresentador 3
E acho que acontece muitas vezes. É as marcas ainda não terem muito bem definidos quem é que são os seus próprios clientes.
Apresentador 3
OK, aquele tradicional do marketing que era, não se faz nada enquanto não sabemos quem é que é a pessoa que nós queremos impactar, podemos impactar todos ao mesmo tempo, senão a Mensagem não faz ressonância a eu acho que realmente realmente nós vamos tentar aqui um passo atrás.
Apresentador 3
E começamos a ver as plataformas como diferentes canais de comunicação, não é? Mas.
Apresentador 3
Temos realmente de pensar em quem é que são os nossos clientes e que Mensagem que nós queremos passar, etc a digo por aí.
Apresentador 3
Eu acho que o marketing está a evoluir e gosto desta ideia do como é que ele se chamava Diogo tranquilizantes exato.
Apresentador 3
Eu gosto da ideia dele de é pá de que se calhar temos de dar um passo atrás e começamos a focar NOS outra vez um bocadinho mais no.
Apresentador 3
O que é que o marketing deve ser? Qual é que é a Mensagem, o propósito da nossa marca?
Apresentador 3
Antes de tentarmos ser bombásticos e todas as plataformas e ficámos completamente obcecados com todos os tipos de diferentes formatos, e estamos a fazer todos ou não.
Apresentador 2
Boa Fred partilhas do da mesma no Fundo, voltar às bases daquilo que é a essência do marketing.
Apresentador 4
É uma reflexão desafiante, porque como nós vivemos em tempos de incerteza e a incerteza das rápidas mudanças tecnológicas, portanto interdependência económica, aquilo que falamos há bocadinho em relação à guerra e à paz.
Apresentador 4
Seria ISTO, por um lado, fez-me lembrar o conceito inventado em 1987, mas é só uma curiosidade que é o conceito. Vuca também tem uma teoria de liderança focada em vuca, que houver a volatilidade o.
Apresentador 4
Inglês, que é a certa TI que em português seria incerteza ter a volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Acho que vou pegar NOS 2 temas, porque eu concordo com uma base que é uma das bases que foi aqui dito é que é.
Apresentador 4
Há muitas empresas que colocam primeiro a tecnologia e depois a estratégia quando devia ser o contrário. Primeiro vem a estratégia e depois vem a tecnologia e só que tenho algumas dúvidas, um no resultado final que o que o Diogo verbalizou, que não, que trouxe aqui para cima da mesa em relação às pessoas pensarem talvez, portanto, a expressão que usou foi AO facto de sermos quase obrigados a acompanhar todas as mudanças e não e eventualmente estamos a esquecer o produto placement.
Apresentador 4
Preço, etc. E aqui que eu tinha algumas dúvidas, porquê? Porque?
Apresentador 4
Para nós, colocando agora a tónica que teria minimamente uma estratégia aplicada quando está a preparar campanhas especificamente para aquilo que o Diogo trouxe para cima da mesa que foi a Tick Tock Facebook e do Twitter e etc. Quer dizer, para fazermos anúncios, há algumas alguns processos que se tem que cumprir processos, esses que são escolher qual é que é Oo território, escolher qual é que é a idade são homens, género, homens ou mulher.
Apresentador 4
Quais são os interesses e o que eu acho é que em cada um dos espaços mal ou bem, as pessoas têm muito pouco conhecimento.
Apresentador 4
Eu tenho a sensação que vai haver uma reflexão sobre qual é que é a audiência que era atingir porquê?
Apresentador 4
Porque são as ferramentas já obrigam essas escolhas? Claro que não são todas as ferramentas e os processos não são todos iguais, porque a pessoa pode clicar no botão azul e tem menos opções de escolha em relação às características. Mas eu acho que esses processos obrigam a pena.
Apresentador 4
Falar qual é que é o produto, qual é que é o placement e na forma como está criar? O anúncio é um dos poucos momentos onde as pessoas são obrigadas.
Apresentador 4
É porque o ponto é só este que é. Eu Não digo que a que não possa existir um desfasamento entre aquilo que são as prioridades, a tecnologia com a estratégia, só acho que por acaso neste, neste Tema específico de anúncios neste Tema específico de anúncios, eu acho que não se aplica porque a pessoa é obrigada a pensar em qual é que é o público-alvo quer?
Apresentador 5
Só isso, mas eu acho que a questão dele era um pouco mesmo. O contrário, não é que é o facto de nós andarmos aqui numa de damos todos os anúncios à Google. A Google é que otimiza, não é a Google é que vai atrás, certo? Principalmente nesta forma de pronto, onde o é a campanha? É um sistema que se começa a otimizar a si, não é nós não estamos a confiar muito no nesse sistema, não é somos nós por deixar de fazer esse pensamento e deixamos Oo pensamento para a máquina, não é?
Apresentador 4
E eu pergunto a TI, mas tu de uma fase inicial de Camp.
Apresentador 4
Venha, não tens que colocar inputs AO que a Google faz. Isso foi uma das fases. São variações dos impostos que nós introduzimos. Se essas variações se traduzir em conversões melhores, acho que dificilmente algum profissional se vai questionar no resultado final até então dizer que fiz, mas o ser humano vai ter que ser meterem putz iniciais.
Apresentador 3
Sim mas, mas acredito que a tendência vai ser cada vez mais na automatização destes processos todos, ou seja.
Apresentador 4
Este vai ser sempre terem putz, ainda que seja automatizado, vai ser dizer se é pilares ou seryoga hora.
Apresentador 5
Ora Fred mesmo mesmo o sistema já te sugere o próprio anúncio.
Apresentador 5
Não é?
Apresentador 4
Certo, mas tu tens que meter instrumentos, não é?
Apresentador 5
Ele já era o próprio Núncio. Já faz alterações ao teu anúncio, não é? Quando sabe que tem um anuncio melhor a estás a perceber a ideia, ou seja, Oo ponto dele é mais tipo. Pensando à frente, não é que é se não estamos todos agora a concentrar, OK, então o que é que nós podemos meter de inputs para o sistema? Se otimizar vs nós estarmos a pensar e a conhecer a nossa audiência e perceber que necessidade é que a nossa audiência tem, estás a perceber a ideia?
Apresentador 2
Um certo boa.
Apresentador 5
É por aí, porque depois acabamos todos por concentrar No No. O que é que nós podemos fazer para a máquina?
Apresentador 5
Não é porque estamos tão já à espera que a máquina e não quer dizer que a máquina não tem, não tenha resultados sem do.
Apresentador 5
É mas depois de OEOO que estamos sempre à espera de que a máquina, ou seja, que a Google, neste caso no exemplo dele, lance 11 nova forma de criação de anúncios.
Apresentador 5
A aí então uma nova forma de medição de conversões e então temos que esperar e temos que NOS adaptar a eles.
Apresentador 5
Ou será que deverá ser ao contrário? Nós é que devemos estar a liderar na nossa audiência. Quem é que vamos atingir, quando é que vamos atingir e a planearmos do nosso lado também não é. É um pouco um pouco para.
Apresentador 5
São os fiquemos todos nós a Fiar demasiado nas máquinas.
Apresentador 4
Por acaso a não eu acho que é uma função bastante relevante. Sim, não agora colocaste assim nessa perspetiva a sim, até porque se formos a ver bem o que muitas das grandes plataformas há muitas grandes empresas tecnológicas, o que tem vindo a desenvolver são sistemas onde és aprimoramento da inteligência artificial se aplica não só este caso tu trouxeste os anúncios, mas a outros, no caso da Salesforce têm têm a um add-on que Einstein, no caso da Microsoft, em um redondo.
Apresentador 4
Que é o Power bi?
Apresentador 4
Eu lhe chamar de Don para para estar a chamar software, portanto, ou seja, em vários, em várias circunstâncias, em sistemas diferentes, a máquina que supostamente, a propósito, sim, sim, de ajudar o ser humano, sim, realmente houve uma frase, disseste-me que cativou minha atenção, que é nós estamos a pensar para a máquina, como é que damos mais? Imputa a máquina para ela ser me.
Apresentador 4
Claro é comunicar com a audiência que nós pretendemos.
Apresentador 3
Ainda esta semana seu e uma notícia de que o engenheiro da Google diz que a máquina estou certo. Ficial, Deus ganhou vida própria, não é?
Apresentador 3
E já tem sentimentos e às vezes agentes contendo outras vezes menos contente para ver no que isso.
Apresentador 5
É sim, sim, leiam leiam bem notícia, não é? Pois isso foi. Foi um pouco de mentido que a máquina só está respondendo mediante os testes que encontra para responder àquelas questões.
Apresentador 3
Vai dar.
Apresentador 5
Não é e não e não propriamente, os textos estão a ser gerados.
Apresentador 3
Acreditas que a inteligência artificial não tem sentimentos também?
Apresentador 5
Neste momento, acredito que a inteligência artificial ainda não tenha sentimentos.
Apresentador 2
Muito bem, o que é inteligência ainda inteligência artificial e não tem a capacidade de avaliar o nosso podcast por si próprio. Portanto, tem que ser vocês a fazê-los aonde Spotify, Google podcast ou Apple podcast, por favor.
Apresentador 2
Tiverem gostar, já sabem, deixem uma avaliação. Marque no piso3.pt. Temos lá também toda a informação daquilo que vamos falando aqui.
Apresentador 2
O nosso podcast muito bem, Fred. Vamos então falar de empresas tecnológicas, regulação para idades que NOS trazes? Não é?
Apresentador 4
Ora, bem, creio que é mais do que evidente que os governos já não vão deixar a tecnologia em paz.
Apresentador 4
A título de exemplo, rápido Europa ordenou a existência de carregadores telefónicos padrão para aparelhos electrónicos portáteis nos Estados Unidos.
Apresentador 4
Esta semana no Texas, aprovaram uma lei que no fundo, visa restringir o policiamento do conteúdo por parte das.
Apresentador 4
Sociais é para quem não ouviu, não sabe? Os residentes do Texas podem processar o Facebook, Twitter, YouTube ou outras grandes redes sociais por moderar em conteúdo com base no ponto de vista do utilizador ou outra pessoa precisa de ser apenas 2 exemplos onde as empresas de tecnologia podem contar com mais mudanças, como as que se verificaram na forma como os governos se dedicam aos negócios e como utilizamos os seus produtos. Isso significa que, muito provavelmente é que novas tecnologias, como os carros sem condutor nfts é tele entrega.
Apresentador 4
Com drone.
Apresentador 4
NS eventualmente vão levar mais tempo a espalhar-se pelo mundo é tornarem-se pacificadas, talvez os ouvintes.
Apresentador 4
Saibam mas mais de metade da população brasileira não tem esgoto tratado. O esgoto é uma das mais antigas tecnologias do mundo em Portugal.
Apresentador 4
Um recente estudo do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa revela que mais de metade da população portuguesa não me livros também é uma tecnologia bem antiga.
Apresentador 4
Eu pareço, eu sei que alguns de vocês podem parecer que uma mistura não é, mas voltando aqui ao nível macro de tecnologia de alto padrão, há muitos defensores que exigem mais de liberação, mais supervisão.
Apresentador 4
Nós temos vindo até falar aqui nesse post.
Apresentador 4
É sobre esse Tema, mas isso pode retardar em, é invenção. Estou a falar de privacidade de dados ou antitruste tecnológico, por exemplo, da classificação daquilo que é o emprego dos condutores de empresas, como a Uber, seda de Economy ou realmente existe alguém que supervisiona ao longo de um tempo contrato trabalho?
Apresentador 4
Então outros tempos que a gente fazem refletir sobre múltiplos países, que estabelece normas sobre como os dados podem e não podem circular pelo mundo.
Apresentador 4
Todas as leis são resultado de uma reformulação ainda a evolução, que tinha sido uma abordagem a tecnologia dos anos 90 e chegando próximo da minha pergunta, uma última reflexão que é, acho que é que algumas seções com a atitude predominante em relação às novas tecnologias da Internet, em que inclui publicidade digital, comércio, eletr.
Apresentador 4
Tónico as redes sociais, o emprego, o emprego alternativo através de aplicações. Tudo ISTO são coisas muito novas e alguns casos poder-se-á dizer marginais úteis ou não.
Apresentador 4
ISTO, depois depende da do entendimento do governo ou das pessoas que usam, mas ISTO pode estar a criar alguns constrangimentos.
Apresentador 4
A minha pergunta para vocês é ISTO, o que é que está a faltar? Melhores leis, melhores reguladores ou melhores prioridades naquilo que nós entendemos que a aplicabilidade da.
Apresentador 2
Muito bem, questões grandes a alguém que ele se lançar aos lobos que esta Diogo.
Apresentador 5
Vamos a ISTO, então a pá, mais uma vez o Fred traz aqui um ótimo assunto, ao contrário do Miguel, estou a brincar, Miguel, estou a brincar.
Apresentador 2
É é meu Deus. Que hostilidade é grande, gratuita.
Apresentador 3
Pimba mas.
Apresentador 1 Ricardo Ricardo e.
Apresentador 4
Cabelo, uma garrafa de vinho jantares. A facto.
Apresentador 3
Direto exato lavar roupa suja.
Apresentador 5
Que eu queria dizer é que o Miguel também trouxe um ótimo assunto. Os 2 trouxeram ótimas, mas AA pá, Quanto aqui? Se Oo que é que está a faltar? Eu acho que está na mistura entre estes 2 entre as leis.
Apresentador 5
E os regulamentadores e, ou seja, há melhores leis. Diria eu que é que é óbvio, não é? EEO mercado na União Europeia e nos Estados Unidos estão claramente atrás atrás disto não é? Digo digo que é óbvio também, porque as alterações que têm vindo a ser feitas, tanto em termos de RG, PD ou de de digital Service Pack, que também já vimos que que que vai ser aprovado a, portanto, reflectem muito isso, não é? São novas leis exatamente para combater a falta de regulamentação existente.
Apresentador 5
Não é?
Apresentador 5
Porque é regulação, não é regula regulação ou regulamentação. Não estávamos os 2, funcionam a pelo que vimos, enfim AEEE. Depois do outro lado, os regulamentadores, a os reguladores, porque eu acho que Toda A Gente tem este registo na cabeça. Quando o senador americano perguntou Mark Zuckerberg, como é que o Facebook faz dinheiro não é? E fica então EE, ele responde anúncios, senadores.
Apresentador 5
A tipo Toda A Gente sabe e o senador mesmo assim estava ali. Parecia um pouco a pesca, não é?
Apresentador 5
Ou seja, parece que mostra a lide da parte de quem está a legislar. Legislar não é ainda um grande desconhecimento sobre todo este online. Então, se formos agora perguntar o que é que é um blockchain ao Senador?
Apresentador 5
Portanto, senador manda só show EE não sabe o que dizer? Eu próprio atenção, não saberia o que dizer. Não é? Não, não, não, não vou por aí, portanto.
Apresentador 5
OK se calhar saberia mais do que do que este Senador anyway, mas a ideia é isso, portanto.
Apresentador 5
Diria que o que está a faltar está aqui um pouco entre estes 2, ou seja, entre as as as leis ou regras, não é? E quem faz essas leis? AA ou regras, eu sei que a União Europeia, por exemplo, utiliza um grande painel. Não sei como é que funciona nos Estados Unidos mas utiliza um grande painel de especialistas a para chegarem exatamente AA pontos como ORGPD.
Apresentador 5
E que pontos é que lá devem estar, etc? Agora não sei como é que isso funciona, por exemplo, nos Estados Unidos mas eu diria que está aqui entre porque mesmo isso mesmo.
Apresentador 5
Esse esse painel não é? Por vezes, não consegue responder da melhor forma a necessidade do do do utilizador e a necessidade das das pessoas No No na União Europeia, por exemplo.
Apresentador 2
Muito bem, Miguel.
Apresentador 3
Eh Pá, Eu acho que é uma grande barbaridade andar se a tentar definir o hardware que diferentes marcas e utilizados parte que interessa que os carregadores de telemóvel sejam todos iguais. Eu no final, no final da minha intervenção.
Apresentador 3
Vou vou vou ESP.
Apresentador 3
Há porquê?
Apresentador 5
Interessa chama-se ambiente é fácil Bora lá.
Apresentador 3
Olha Diogo, eu vou fazer a minha intervenção e no final responde, é, mas por que? Por que motivo é que o Governo se meter nisso não é? EE. No que é que estas intervenções do Governo podem matar? Inovações tecnológicas? Não é porque imaginemos que agora a Apple surge com um novo tipo de carregador, eh pá, com alguma tecnologia diferente e agora ficam limitados porque afinal tem de ser USB? Não sei das quantas.
Apresentador 3
Porque se não não é estandardizado, eu acho que é fazer parte ou não. De 1/01/1, modelo standard deve ser uma decisão estratégica da empresa e não uma obrigação por parte de um governo. Uma empresa pode dizer não eu quero, eu quero que o meu, que os meus carregadores sejam estandardizados, porque faz o sentido da minha estratégia, OK? Aos meus visores da qual coisa não chegaram governo e dizer não os teus vão ter de ser analisados, porque se não os setores temos ter algum tipo de doença na arte sados, como é que a inovação pode surgir? Não é isso, não mata um cada inovação.
Apresentador 3
Não é a ideia da inovação é arranjar.
Apresentador 4
Eh pá Vamos tourada.
Apresentador 4
Tu tu já viajaste para o estrangeiro, não sabes que existem tomadas.
Apresentador 4
Diferentes, acho que isso aí com mais em.
Apresentador 4
Que enfim rico.
Apresentador 3
Sim o da das eletricidade e a.
Apresentador 1 Não acho.
Apresentador 3
Estou decisões, são decisões que os.
Apresentador 3
Próprios países tomaram em relação às coisas.
Apresentador 3
O que é que vai então e agora, quem é que vai decidir quais é que são as tomadas que devem ser oficiais no mundo inteiro? Que é que vai decidir ISTO, não é?
Apresentador 5
Miguel, vamos ler uma coisa é é o que vem daí. O que vem para frente não é o futuro.
Apresentador 5
Como é que nós podemos planear melhor o futuro e a questão dos dos carregadores? Eu Não estou em erro, é acho que eles têm algo em algum.
Apresentador 1 Por lá.
Apresentador 5
Tem muito a ver com a questão do ambiente para não estarmos a criar extra vários carregadores, não é porque sempre compras um telemóvel, vais ter que comprar um carregador novo e está associado, estás AA empresa, está te obrigar a ficar associada àquele carregador ia comprar aquele tipo de carregador que só vai aumentar o consumo, OK? Portanto, a ideia é proteger não só utilizador. Espera aí para não só proteger o utilizador como um ambiente. ISTO não quer dizer que a inovação vai deixar de acontecer, OK?
Apresentador 3
Sim Oo til UPA lá.
Apresentador 3
Mas posso, mas posso falar, posso falar, posso falar falar.
Apresentador 2
Miguel força.
Apresentador 3
Então, é, eu acho que esta, ISTO é uma, é uma forma de controlo. Basicamente, a inovação vai acontecer ou não, não sabemos, mas eu acho que não é, não é por aí. Eu acho que se os governos da realidade querem tentar baixar AA pegada ecológica da necessidade de novos carregadores, eh pá Esqueçam lá em si, comecem a investir em outras áreas onde se calhar podem baixar mesmo a pegada ecológica. Não é porque é que a eu acho que este estas regras todas e estes anti trust é pá, é a forma do século 21 dos governos tentarem controlar tecnologia indústria.
Apresentador 3
Ponto Final.
Apresentador 3
A só tenho pena que não tenham feito o mesmo NOS combustíveis e na energia, não é? Andamos a falar da porcaria dos carregadores de telemóvel, se calhar devíamos estar a falar, porque é que? Porque é que 1 l de gasolina em Portugal está a 22 e 30? Não.
Apresentador 3
É, ou seja, é.
Apresentador 3
Pá Ouve, ouve, não é assim, a eu acho que o que está a faltar são melhor, são melhores.
Apresentador 3
Não é isso?
Apresentador 5
Espera aí o Miguel, eu estou a receber aqui um telefonema do PCP. Pá, Eu acho que estás expulso.
Apresentador 3
Olha então o PCP vai adorar esta. Eu acho que ele está a faltar. São melhores leis para proteger os empreendedores das constantes agressões por parte dos governos. Estas cenas dos antitrust Itália para a maior parte delas são uma palhaçada.
Apresentador 3
A ideia é tentar proteger os os consumidores e os não não haver criação de monopólios, etc. Veja o exemplo do Facebook, não foi preciso um anti trust para permitir que o Tiktok surgisse o foi o Tiktok surgiu porque surgiu uma legislação qualquer que bloqueou o Facebook. Não foi o mercado, foi o mercado que faz com que surja.
Apresentador 4
E é só para que o Facebook estava para está proibido na Ásia, na China em concreto.
Apresentador 3
Exatamente mas e o crescimento tem que tocar em Portugal. Tem alguma coisa a ver?
Apresentador 3
Com a China.
Apresentador 5
Ou não quer dizer se tu pensaste que eu estiveram com sistema, tive que aprender e teve que evoluir e teve um mercado gigante antes de vir.
Apresentador 5
Fora sim teve influência.
Apresentador 3
O senhor pontos.
Apresentador 4
Onde eu também pode pensar também desta forma que eu, Facebook ou não ter é mais margem para crescer, porque todo mundo ocidental já utiliza, é, ou seja, quando esbarra na Ásia, enquanto que o Tiktok consegues alcance mundial.
Apresentador 3
Aparece aqui, mas olha, o Facebook está a perder utilizadores neste momento, não é? Sim.
Apresentador 4
A pasta precisa disso.
Apresentador 4
Imagina tinha as portas da China aberta.
Apresentador 4
Teria, nós não estamos a falar.
Apresentador 3
Agora Simas e mas as questões antitruste que surgiram neste momento tiveram influência nisso ou não?
Apresentador 3
Eu acho que vocês estão a tentar, eh, pá, barrar completamente esta ideia de que os governos não se devem meter tanto nestas coisas.
Apresentador 3
Eu pelo menos, eh pá, é a minha percepção e a minha forma de de pensar é que nós devemos ser mais ou menos livres de fazer aquilo que nós bem entendemos, pá, desde desde que haja algum respeito, obviamente pela sim, diz.
Apresentador 5
Estou é, o telefone está a tocar, acho que a iniciativa.
Apresentador 5
Seguram Oh meu Deus.
Apresentador 3
Aí eu já já se, portanto, que se pida delícia tiva, liberal et cetera ***** para eu eu vou eu atender ninguém então pronto eu eu quero. Já percebi que aí daí as muito, muito contrárias eu acabo, eu acabo dizendo o seguinte, eu acho que os governantes e como o Diogo até disse.
Apresentador 2
Meu Deus.
Apresentador 4
Muito bem.
Apresentador 5
Foste expulso pelo Pcv entrado iniciativa.
Apresentador 3
A não percebem o suficiente de tecnologia e de inovação para perceber estas revoluções e para e ainda por cima, tentar legislar sobre ISTO é uma Loucura pessoal que não percebe estes estes sistemas e o que se passa?
Apresentador 3
Fundo tentar criar legislação sobre isso, porque é completamente ridículo. Um tipo está criar legislação, perguntar ao outro, então, mas como é que vocês jogam dinheiro é para o tipo.
Apresentador 3
Do Facebook de ser economias.
Apresentador 3
Não é? E para é ridículo, não é? Como é que essas pessoas podem?
Apresentador 3
Há leis que definem ISTO, não é a minha perspetiva. Prefiro calar-me.
Apresentador 2
Pousada, muito bem.
Apresentador 2
Meu Deus, calaram Miguel de Amonde.
Apresentador 3
Se silenciaram, exata uma pessoa, diz, é pá, vejam lá nós daqui a uns tempos, nem carregadores de telemóveis tem ISTO, vai tudo ser bayless, tipo que aí, o que é que vai acontecer, Diogo?
Apresentador 2
Meu Deus pá.
Apresentador 5
Oo só para que saibas o carregamento harless de o contactless a tem um desperdício de energia muito, muito muito grande, superior a 50%.
Apresentador 2
Devia ser proibido, é só a minha opinião, mas pronto fica fica o.
Apresentador 2
Fica fica a nossa opinião que é pouco relevante, a vossa é muito mais, portanto, W ponto marketingcriadas.pt o nosso grupo do WhatsApp deixem lá a vossa opinião sobre aquilo que é que diz respeito ao assunto que o que o Fred mostrou-se relativamente às tecnológicas. Se precisam então de mais regulamentação a.
Apresentador 2
Apenas ajustar as prioridades, muito bem, estamos fechados, temas, estamos aí boa, conseguimos, conseguimos sobreviver por este período conturbado. Vamos então um momento que falhámos.
Apresentador 2
Não passava que o nosso momento de Twitter a desculpa de charuto Twitter, onde vamos anunciar os nossos novos seguidores da nossa conta Twitter? Martin, Idiota, estás pronto, é?
Apresentador 5
Sim, vamos lá, então é esta semana, temos é Rita henriquez a Maria Henriques, o Tiago Henriques. Não estou brincar, é o Tiago.
Apresentador 5
Meu Deus.
Apresentador 5
O Carlos AM Barradas advertiu a Rita Pereira pronto, já sabem que a Rita Pereira também NOS segue o João Rodrigues e, por último, o metro.
Apresentador 2
Metaverso como será que está a correr muito bem? Vamos já em havers.
Apresentador 3
Com um excelente sentido de humor, provavelmente. Que é dolor. Por quê?
Apresentador 2
Dolor, muito bem, vamos, vamos decidir a nostro momento de notícias rapid ITA e que Diogo estar listo.
Apresentador 2
Vai a Bengala vamos.
Apresentador 5
Então a Amazon perdeu cerca de 1/3 do seu valor em bolsa desde o início do ano. Se calhar, é uma boa altura.
Apresentador 5
Não é para aproveitarem e comprarem forte. O Apps Club Coin também é de seu imenso, não foi?
Apresentador 3
E aí Paulo sorriso.
Apresentador 5
Foi pra Senhora, Vamos.
Apresentador 5
Vou passar na próxima notícias que a minha é o Google Merchant Center lançou 3 novas funcionalidades este mês e tá tudo em Martin Pro idiotas.pt passem por lá. EE vejam quais são as novidades.
Apresentador 5
A Apple ISTO é incrível, gente, reparem nisto e Apple está a pedir aos utilizadores para aceitarem publicidade personalizada nas suas aplicações.
Apresentador 5
Depois de tudo, depois de terem dado cabo do mercado ter party que eu quis e tudo pronto. Enfim, um, o Google Business profile já permite uma conexão direta ao o comerç é incrível e a aqui também o LINK tree, que acho que Toda A Gente conhece, não é o link na bio e lançou um marca de place de várias integrações que vocês podem escolher, a integração.
Apresentador 5
Querem um para o vosso LinkedIn, e é isso boa.
Apresentador 3
Eu acho que Apple Apple agora que parece estar a tentar fazer aí uns muros para entrar no mercado da publicidade, é pá, se calhar ainda vamos ver aqui uma das maiores contradições de sempre relativamente a ISTO da privacidade.
Apresentador 5
Isso era incrível.
Apresentador 3
É pá era brutal e eu acho que vai acontecer pelo que tu disseste nesta notícia agora.
Apresentador 5
Vai ser lindo, não é? Está ridículo, é 11 aviso. Não é que está a aparecer nas aplicações da Apple, onde eles a pedem para os utilizadores aceitarem os anúncios personalizados. Pá, nem sequer faz sentido, nem sequer faz sentido, enfim.
Apresentador 3
Mas era lindo, eles faziam dar pattern do género. Prefere receber anúncios personalizados ou anúncios que a sua mulher vai odiar ou uma coisa qualquer assim que a sua mulher vai.
Apresentador 3
Achar que tem humanos?
Apresentador 5
Vocês meu.
Apresentador 2
Meu Deus que inusitado, muito bem, bem. Já agora, deixem-me só deixar mais uma notícia que o Google beleza se eh pá, Desculpem lá esta pronúncia Hoje Google mesas para o fado.
Apresentador 2
Essa semana também libertou no início desta semana, libertou a hipótese dos hotéis. É agora, diz-me em particular, respeito permite os hotéis ligarem diretamente o seu inventário, preços a ao Google ou Telex, ao que até ao momento tinha que ser feito diretamente através de um parceiro e agora pode ser feito diretamente e permite também aos hotéis fazerem post algo que também estava a inibido aos hotéis. Portanto, quem trabalhar nesta área de hotelaria pode aproveitar este momento que.
Apresentador 2
Único é de o Estado oferecer este tipo de funcionalidades muito bem. Vamos aumento de ferramentas da semana que eu tenho aqui é coisas, tenho está em repito, muito bem, muito bem. Essa semana a ferramenta dessa semana é.
Apresentador 5
Em tão é uma funcionalidade do Google Ads OK, então o whats? Eu Não sei se você já conheciam esta funcionalidade, mas o Facebook tem uma funcionalidade. Nós conseguimos ver OA partir de um anúncio, conseguimos ver que outros anúncios é que o anunciante está a fazer. Sabem que essa facilidade, que se essa funcionalidade No No.
Apresentador 2
Como através? Que o Facebook.
Apresentador 5
Nós, quando temos um anúncio, nós podemos clicar no anúncio.
Apresentador 5
Não é e temos a opção de ver outros anúncios pelo mesmo anunciante, ou seja, outros anúncios que aquele anunciante está a fazer e que é uma ótima forma de nós NOS inspirarmos, percebermos o que é que a nossa concorrência está a fazer, por exemplo, OKE, então o que?
Apresentador 5
É que acontece?
Apresentador 5
Este esta semana foi lançado, então a mesma funcionalidade ou uma muito semelhante, pelo menos.
Apresentador 5
Na no Google é de onde vocês podem clicar nas 3.
Apresentador 5
Linhas e o link está em marketing para idiotas.pt como sempre podem clicar em mais opções e a ver outros anúncios do mesmo anunciante e então podem ver vão ter a uma página onde tem todos os anúncios que aquele anunciante está a fazer Na Na Google. Olha só para os nossos ouvintes perceberem, até porque Eu Não estou aqui a perceber. Eu estou, por exemplo, eu vim aqui ao Google, meti canalizador e passei-me aqui alguns canalizadores 24 horas e.
Apresentador 5
Contra ele, como é que eu acedo a essa? Essa opção era, era aí que eu ia completar agora que é esta opção. Neste momento está só disponível nos Estados Unidos, portanto, se quiserem, vocês vão ter que.
Apresentador 5
Meter Oo.
Apresentador 5
O uma VPN a funcionar OKE na opção que diz AA sobre este anúncio, OKA, vocês vão ter uma opção quando estão com a VPN ligada.
Apresentador 5
Uma opção que diz, sim, mort vai desse advertiser ou ver mais anúncios deste deste anunciante e vão conseguir então ter uma página com todos os anúncios desse anunciante, mas bem.
Apresentador 3
Boa isso é top, é como a Facebook e delivery.
Apresentador 3
Liberi library e também faz a mesma coisa e é muito bom para estudarmos a concorrência.
Apresentador 2
Boa gostei.
Apresentador 2
Muito bem, é isso? Ramos da semana boa, muito bem Malta, chegamos ao fim. Obrigado a todos que tiveram até agora connosco. Não sei se quer deixar algum comentário final, só alguma observação.
Apresentador 3
É, eu quero dizer que eu me sinto ofendido é e na próxima semana irei defender a minha honra.
Apresentador 5
Nós chamamos de Miguel.
Apresentador 3
Vá é, fui completamente enxovalhado no meu comentário, muito claro.
Apresentador 5
Voto a iniciativa.
Apresentador 2
Meu Deus, Malta, não esqueçam de subscrever o nosso qualquer cena não fazem, deixa ter uma avaliação se já o fazem essas subscrevem ainda não deixaram no Spotify não.
Apresentador 2
Podcast ou não é podcast e já sabem nosso Grupo WhatsApp W ponto marketing por idiotas.pt ou então o nosso site marketingperiodos.pt tem lá todos os links e informações de tudo que nós falamos aqui no nosso podcast. Nós, como é hábito, voltamos a ver na próxima semana e esperamos que vocês pra cá e.
Apresentador 2
Até lá então.
Apresentador 2
Assim chegou-se.
Apresentador 5
Chau Chau Chau.
Apresentador 3
A tchau.
podcast marketing portugal

Os Idiotas

frederico carvalho podcast marketing por idiotas

Frederico Carvalho

Formador e consultor de marketing digital

Miguel Vieira podcast marketing por idiotas

Miguel Rão Vieira

CEO @ pkina.com / funis.pt

Diogo Abrantes da Silva freelancer SEO, SEA, CRO e Web Analytics

Diogo Abrantes da Silva

Freelancer SEO, SEA, CRO e Web Analytics

Escreva pelo menos 1 caractere
logo podcast marketing por idiotas
Fale connosco:
WhatsApp Podcast Marketing por Idiotas
spotify Podcast Marketing por Idiotas