ChatGPT: Os marketers vão ficar sem emprego? O SEO está morto, outra vez e o dilema da inovação – e103s01

podcast marketing por idiotas

ChatGPT: Os marketers vão ficar sem emprego? O SEO está morto, outra vez e o dilema da inovação – e103s01

Episódio 103
45:24

No episódio 103 falamos sobre ChatGPT: Os marketers vão ficar sem emprego? O SEO está morto, outra vez e o dilema da inovação

Episódio de: 10 de Janeiro, 2023

Download do podcast

MIGUEL

Inteligência Artificial e Marketing: Os Marketeers vão ficar sem emprego?

Na semana passada trouxe o tema dos influenciadores virtuais.

Nesta semana trago o tema Inteligência Artificial e emprego.

É natural que em todas as grandes revoluções exista um conjunto de pessoas que veja a sua realidade no mercado de trabalho alterada.

Durante a revolução industrial muitos acreditaram que iam ficar sem emprego, pois a maneira antiga de fazer as coisas tornou o seu emprego obsoleto.

Neste momento com inteligência artificial muitos de nós estamos a pensar exactamente a mesma coisa…especialmente a comunidade de marketing.

Neste momento praticamente todos os influenciadores e formadores de copywriting que costumo seguir estão a falar sobre ferramentas AI de copywriting…que foram as primeiras na minha opinião a ter um impacto grande no público em geral.

Estive a pesquisar um pouco na net sobre como a inteligência artificial vai influenciar os empregos dos marketeers.

Deixo aqui algumas notas para tranquilizar os mais nervosos:

  •         O Marketeer não vai deixar de existir…ainda existe muita coisa que a inteligência artificial não faz e o humano continua a ser o mestre das emoções;

 

  •         O Marketeer irá provavelmente começar a trabalhar em equipas mais pequenas…não são ser necessários tanto especialistas;

 

  •         O Marketeer vai tornar-se a ligação entre inteligência artificial e humanos, sejam eles outros trabalhadores ou clientes;

 

  •         O Marketeer vai ter de aceitar muito rapidamente que a Inteligência Artificial veio para ficar…mas não é um substituto. É uma ferramenta que serve para tornar o seu trabalho mais fácil!

 

  •         O Marketeer vai poder alcançar o seu potencial máximo: Pois vai poder dedicar-se a tarefas mais estratégicas e criativas, deixando de lado as tarefas muito repetitivas da operação de marketing.

 

E vocês?

Acham que os empregos dos marketeers estão em perigo?

Muitos copywriters acreditam que sim, outros não…

Um exemplo de um emprego que aparentemente vai desaparecer é o de narradores de audiobooks…a apple pretende substitui-los por narradores de inteligência artificial.

 

DIOGO  

Bem, acho que muitos de vocês que nos ouvem já pensaram um pouco sobre o futuro com este chat gpt e tudo o que tem aparecido ultimamente.

E começo com a minha questão para vocês para pensarmos aqui um pouco em conjunto… Será que com as respostas em AI, está o SEO de morto?
Ou seja, esta ideia de destacarmos a nossa marca ou nosso site pela criação de conteúdo vai deixar de funcionar? É que ao contrário dos assistentes de voz, este conteúdo é criado na hora, claro baseado em muito conhecimento online, mas esse conhecimento é novo, não da marca X Y ou Z. e o sistema não necessita de atribuir se quer em que marcas ou conteúdos se inspirou. Isto, ao contrário dos assistentes de voz.
Como podemos proteger a nossa marca?

Numa entrevista não relacionada com AI ou chat GPT o Rand Fishkin, e a ideia dele ao pensar na sua empresa era se ninguém pesquisa o serviço que a minha empresa oferece, como consigo que a empresa seja encontrada? Segundo ele, não há nem uma pesquisa que se encaixa naquilo que a sua empresa faz e atenção o Rand Fishkin foi há muito tempo considerado como a personalidade em SEO dos últimos anos, ou seja ele não diz isto por dizer .

Segundo ele, O teu trabalho como marketer é encontrar quais os canais onde conseguimos comunicar a nossa marca seja, youtube, redes sociais,, relações públicas, TV ou rádio, etc.
Enfim, Será que com as respostas em AI, está o SEO de morto? O que podemos fazer?

 

FRED

 

A história de 2022 foi a emergência da Inteligência artificial (IA), primeiro com modelos de geração de imagem, incluindo DALL-E, MidJourney, e o código aberto Stable Diffusion, e depois ChatGPT, o primeiro modelo de geração de texto a ser introduzido de uma forma importante.

 

Parece-me claro que esta, é uma nova época na tecnologia.

 

No entanto, para determinar como essa época poderá evoluir, é útil olhar para trás 26 anos, e rever um dos livros de estratégia mais famosos de todos os tempos: The Innovator’s Dilemma do autor Clayton Christensen’s.

 

Há uma passagem no livro sobre os diferentes tipos de inovações que gostaria de partilhar com o ilustre painel e com os nossos estimados ouvintes:

 

“A maioria das novas tecnologias promove um melhor desempenho do produto. Chamo a estas tecnologias de sustentação.

Algumas tecnologias de sustentação podem ser descontínuas ou de carácter radical, enquanto outras são de natureza incremental. O que todas as tecnologias de sustentação têm em comum é que melhoram o desempenho dos produtos estabelecidos, ao longo das dimensões de desempenho que os principais clientes nos principais mercados têm historicamente valorizado. A maioria dos avanços tecnológicos numa determinada indústria são de carácter duradouro.

 

As tecnologias disruptivas trazem a um mercado uma proposta de valor muito diferente da que estava disponível anteriormente. Em geral, as tecnologias disruptivas têm um desempenho inferior ao dos produtos estabelecidos nos mercados principais. Mas têm outras características que alguns clientes novos, valorizam. Os produtos baseados em tecnologias disruptivas são tipicamente mais baratos, mais simples, mais pequenos, e, frequentemente, mais convenientes de utilizar.”

 

Parece fácil olhar para trás e determinar se uma inovação era sustentável ou disruptiva, analisando a forma como as empresas se saíram depois dessa inovação ter chegado ao mercado: se a inovação era sustentável, então as empresas estabelecidas tornaram-se mais fortes; se era disruptiva, então presumivelmente as start-ups capturaram a maior parte do valor.

 

Vamos fazer uma breve viagem por 3 épocas tecnológicas.

 

O PC era perturbador para quase todos os operadores históricos existentes; numa altura em que estes dispositivos tornaram-se relativamente baratos e ficaram mais rápidos foi a Intel e a Microsoft que dominaram à medida que o mercado se tornou anão em relação a tudo o que existia antes.

 

A Internet tem 63 anos, era quase inteiramente uma nova inovação de mercado, e assim definida por empresas completamente novas que, na medida em que perturbavam os operadores estabelecidos, o faziam em indústrias distantes da tecnologia, particularmente as que envolviam informação (ou seja, os meios de comunicação social). Já estou a pensar era da Google, Facebook, do comércio electrónico, etc.

 

A Cloud, a computação em nuvem faz indiscutivelmente parte da Internet, mas penso que merece a sua própria categoria. Há 27 anos quando surgiu era também extremamente disruptiva: apareceram uma série de startups SaaS que descascaram funcionalidades dos operadores históricos para construir empresas. O que é notável é que a infra-estrutura central para a computação em nuvem foi principalmente construída pelos vencedores das épocas anteriores: Amazon, Microsoft, e Google. A Microsoft é particularmente notável porque a empresa também fez a transição do seu negócio tradicional de software para um serviço SaaS, em parte porque a empresa já tinha feito a transição do referido negócio de software para um modelo de subscrição.

 

Deixo já uma pergunta ao painel. Se há alguma época tecnológica que considerem merecedora de destaque.

 

Mas queria finalizar dizendo o seguinte:

 

O que é notável neste agregado histórico  é que alguns dos maiores vencedores em épocas tecnológicas anteriores têm sido empresas existentes a alavancar o seu negócio atual para se mudarem para um novo espaço e não necessariamente startups. Ao mesmo tempo, arrancamos 2023 a falar da grande aposta da Microsoft no OpenAI, cujo software ChatGPT pode compreender e gerar texto conversacional, algo que está a começar a parecer um golpe de génio. A Microsoft planeia usar a tecnologia do OpenAI para melhorar os resultados nas pesquisas Bing e ajudar os clientes do Word e do Outlook a gerar automaticamente documentos e emails usando simples avisos.

 

Mas o OpenAI está longe de ser o único software de desenvolvimento inicial que pode compreender a linguagem e que grandes empresas tecnológicas como o Google, Amazon, ou Meta Platforms podem querer licenciar, estabelecer parcerias ou adquirir.

 

Segunda pergunta Quanto tempo vai durar o hype do chatgpt?

 

 

[RAPIDINHAS – NOTÍCIAS DE MARKETING DIGITAL EM PORTUGAL E NO MUNDO ]

 

[FERRAMENTA DA SEMANA ou Estatística da semana] 

https://flowgpt.com/

Sobre o Podcast Marketing por Idiotas

podcast Marketing por Idiotas é um podcast sobre marketing em Portugal. Neste podcast semanal falamos sobre notícias, irritações e inquietações sobre marketing digital e analógico.

O podcast é apresentado e moderado pelo Diretor de Marketing da Turim Hotéis, Ricardo Vieira e tem como comentadores com lugar cativo o freelancer Diogo Abrantes da Silva, o formador e consultor Frederico Carvalho e o CEO da pkina.com e funis.pt Miguel Vieira.

Ouvir podcast marketing por idiotas

Temas no podcast

01:07
Temas
47:10
Rapidinhas

Neste episódio

Orador Olá a todos bem-vindos ao.
Orador 2
Podcast de marketing por idiotas neste episódio temos da ementa chato GP 3 os barcos vão ficar sem emprego? Ou a SEO está morto? Outra vez. E por último, o dilema da inovação para ficarem saber tudo sobre estes temas e as novidades de marketing esta semana já sabem, deixem de ficar por aí. Orador Foi a fatura.
Orador 2
Bom efeito o efeito Olá a todos sejam muito bem-vindos ao 100º terceiro episódio do Podcast marketing por idiotas, o vosso podcast marketing, onde falamos sobre marketing, negócios e tecnologia no Podcast temos todas as semanas dos 3 temas, temos também rapidinhas, ou seja, as notícias mais relevantes da semana e, por último, a ferramenta da semana ou ainda o novo jogo de estatística onde eu o Ricardo Olá.
Orador 4
O Fred Olá.
Orador 2
E o Miguel competimos entre todos para vos darmos um dado interessante e também fingimos. Que sabemos alguma? Coisa tudo isso em marketing300.pt, onde podem consultar todos os links e informações sobre os temas e notícias que vamos aqui sem mais horas. Agora Sim, Miguel estou a falar do Tema do Tema quente da semana. Portanto, o Ronaldo acaba de assinar, não tu vens falar do Tema mais falado e discutido em fóruns e um sobre marketing e tecnologia NOS últimos 23 meses.
Orador 3
Aliás é. É por isso que estamos a ouvir, porque tu foste cobrir AAO Ronaldo não foi, e agora estamos a ouvir assim. Com esse sono, não é?
Orador 2
Se ganhares e é verdade, Hoje estamos em modo mobile, portanto digo a. Dete muito bem. Força amiga.
Orador 5
OK então pronto. O Tema que eu trago esta semana é chato gpt os Marquise vão ficar sem emprego há eu na semana passada, trouxe o Tema dos influenciadores virtuais a que já roubou, já roubaram aqui alguns empregos? Certamente alguns. Criadores esta semana trago o Tema da inteligência artificial e o emprego. A é natural que todas as grandes revoluções existe um conjunto de pessoas que veja a sua realidade no mercado um pouco alterado e isso gera medo e incerteza durante a revolução industrial, muitos acreditaram que iam ficar sem emprego. Depois, a maneira antiga de fazer as coisas se tornou obsoleta com as novas tecnologias. Neste momento, com inteligência artificial, muitos nós estamos a pensar exatamente a mesma coisa, especialmente a Comunidade de marketing. O que? Mas, neste momento, praticamente todos os influenciadores e formadores de copy waiting que eu costumo seguir estão a falar de AIDS copyright e estou a falar das ferramentas dos perigos que ISTO traz para a para a profissão de freelancer de copy Whiting a eles, basicamente, foram os primeiros a serem impactados fortemente por novas ferramentas de inteligência artificial. Eu Não sei qual é que é a. Vossa opinião em relação a. ISTO se se acham que. Também que também foram eles. Mas pronto deixo, deixo para depois vocês comentarem. Eu estive aqui a pesquisar um bocadinho na Net sobre como a inteligência artificial vai influenciar os empregos dos mártires. Eu deixo aqui algumas notas para tranquilizar os mais nervosos. Eu acho que o episódio de Hoje vai servir um bocadinho como um calmante para todos aqueles com 70 inseguros e também como um aterrorizador para aqueles que ainda não se sentem. Inseguros OK. No caso do marketing, não vai deixar de existir. Ainda existe muita coisa que a inteligência artificial não faz e o humano continua a ser um mestre nas emoções. O que? A NOS artigos que eu vi também que tirei aqui uma nota que é o marketeer irá provavelmente começar a trabalhar em equipas mais pequenas. Não vão ser necessárias tantas pessoas para fazer o mesmo trabalho que AA utilizar artificial. Vai otimizar muita coisa e também não vão ser necessários tantos especialistas em diferentes aplicações, porque elas vão ficar cada vez mais sim. Dos outra nota, o marketeer vai tornar-se a ligação entre a inteligência artificial e humanos, sejam eles outros trabalhadores da empresa ou clientes. E eu gostava mesmo que vocês tomassem nota para depois comentar em pelo menos esta OKO Marketeer vai vai ter de aceitar muito rapidamente que a inteligência artificial veio para ficar, mas não é um substituto, é uma ferramenta que serve para tornar o seu trabalho mais fácil e otimizado é e finalmente a que eu gosto mais é que eu mais acredito é que o marketeer. Vai alcançar o seu potencial máximo, pois vai poder dedicar-se a tarefas mais estratégicas e que. Tivas deixando lá das tarefas muito repetitivas da operação de marketing. OK, vamos deixar de ser tão tarefeiros e vamos passar a ser mais pensadores. AE, vocês o que é que vocês acham? Acham que os empregos dos marque teachers estão em perigo, vão mudar, acham muitos copyright dizer que muitos, muitos copywriters acreditam que sim, que o emprego deles como existe, está em perigo, outros não. Um exemplo de um emprego que aparentemente vai desaparecer é o deseja dores de audiobooks, como uma notícia que também vai estar partilhada no site onde a Apple pretende substituí-los. Narradores, inteligência, arti. Social, qual é o futuro do? Dos empregos aqui nas nossas, nas nossas áreas, o que? É que vos parece?
Orador 3
Não pretendo, deixa-me só adicionar ISTO não pretende, não é ISTO? Foi já um projeto que avançou e que já há livros onde é um Narrador de um Narrador da ai não é construído pelo por aí que está a narrar os livros, ou seja, não necessita de ser um Narrador humano, que é o caso. Como acontece NOS audiobooks da Audible, sim.
Orador 2
Não é exato como é. Como é que o Narrador automático li e ri e aquilo do kakakakakaka?
Orador 1
Bom Diogo olha.
Orador 3
A cá, cá, cá, cá, cá, cá, cá, cá.
Orador 5
A cá cá, cá, cá, cá cá.
Orador 2
Não tem que ser adaptado muito. Bem, Diogo, qual é que é o teu? A tua opinião sobre o filho do marketing do marketing?
Orador 3
Sim, eu acho eu acho. Eu acho que não é a questão aqui do fim do marketing, na verdade, não é. Já sabem que eu. Digo Master, e não marketeer isso. A revista mas a diz Miguel está.
Orador 5
Esperemos, esperemos que esperemos. Que a inteligência artificial não aprenda contigo a dizer marketeer dessa forma em português. Orador Adeus, Joel.
Orador 2
Muito bom Porto Diogo.
Orador 3
Bem, estava a dizer que então a concordo muito com ISTO da questão de o marketing não ser substituído, não é? Acho que vai evoluir e na verdade, acho que vamos todos evoluir um pouco mais e cada vez mais para OT Shirt Marker. Não é, e eu acho que nesse nesse aspecto, acho que os mártires portugueses, por exemplo, estão muito bem posicionados. Não é porque já há muito tempo que nós temos nas pequenas e médias empresas este marketing da parte, não é, somos só nós a ISTO vai possibilitar esse um ano man a fazer muito mais, não é a isso. Isso vai ser. Vai ser muito, muito importante e acho que nós, portugueses, vamos conseguir EE aqueles que estão nessa realidade, vamos, vamos conseguir adaptar muito. Tudo bem a este a esta nova ferramenta, por outro lado, é aquilo aqueles trabalhos que existiam marcas onde eram Masters mais especializados, não é onde, por exemplo, marcas que só faziam trabalhavam em campanhas de Google AdWords e a única coisa que fazem é gerir campanhas de Google, de criar anúncios de Google antes, não é? Portanto, essa criação do Google e não é ainda ainda acho que partilha este fim de semana, neste fim de se. Eu, eu fiz 111 conexão com uma Google sheet e os anúncios do Google de Google agora vão ser criados pelo por por aí, não é? E eu vou só lá dar uns retoques, certo? Portanto e consigo fazer muitos mais anúncios de uma forma muito mais rápida e depois depois se quiserem, posso partilhar essa essa Google sheet tenho só que termina.
Orador 5
Mas olha. Acho que o impacto vai ser maior nas agências que geralmente têm muitos profissionais de marketing ou no pequeno negócio na PM e de marketing que tem um marketeer. Eu acho que vai ter vai ter uma assim assim de de rapidamente eu diria que terá mais.
Orador 3
Impacto no menu marketing da par, não é? Na, nas empresas que têm um marketing não é porque é aquela aquela capacidade que este marketing de repente acaba por ter, não é até a capacidade de programação que ele acaba por obter, que não tinha antes AAA capacidade de criação de imagens que não tinha antes, portanto, toda uma nova capacidade e não só na criação, como também a na no trabalho, não é na rapidez do trabalho, não é? Vai ser muito mais rápido.
Orador 5
Isso refletir-se no vai refletir-se no vencimento.
Orador 3
Não sei, vamos ver, vamos ver também, não é quando? EE se esta questão do chat a Gpt ou ou plataforma de e for paga ou não, não é porque isso vai ter também um custo associado a, portanto, ou seja, ou vai remover do lado do mar tar ou ou então AEEE vai adicionar isso custa à empresa ou então?
Orador 5
Não sai do sai do ordenado.
Orador 3
Pois não? Sei, não sei, não sei. É uma possibilidade. Deixa-me só adicionar outra questão aqui a, mas depois do do Fred falar porque entretanto já está bom.
Orador 2
Para o próximo Fred?
Orador 4
Ora bem, o Miguel disse aqui uma coisa interessante, eu, eu, eu dei assim 11 breve risada para para dentro. Quando eu disse Aymar cookies podem ficar descansados, porque em princípio a inteligência artificial vai fazer e vão trabalhar com equipas mais pequenas. Ou seja, vamos dispensar Malta que deixa de ser necessário. Orador O cego.
Orador 4
E tu ainda acrescentaste que o novo Marco de ir vai? Ficar sem tarefas mais. Estratégicas e criativas, portanto, todas as pessoas que dançam nas estratégias. De criativas o revelou. Não, mas eu percebo que há aquilo.
Orador 5
É pá, pois é, se calhar estou a ver o meu perfil e pensei, é pá. Espera Miguel tu. Estás chave ou se afaste por agora?
Orador 4
Claro que vai haver aqui uma adaptação. Concordo, acho que nós estamos a avaliar isso. Nunca NOS esquecemos que o marketing trabalha com geração. De valor e. É aquilo que. As pessoas têm que fazer nestes contextos, além de criar, comunicar e entregar ofertas que sejam relevantes para as pessoas e sempre pensar no retorno que é. Poderá ter pro negócio e quando nós falamos de operações de marketing e especificamente, o Miguel referiu que é possível que Oo futuro Marketeer, deixe as tarefas muito repetitivas de lado. Nós estamos a falar de organização de pessoas, de processos, tecnologias, informação com dados. ISTO depois precisava aqui de uma check list para coisas concretas. Não é como auditorias, pesquisa de insights, enfim, bom. Mas há aqui o ponto central que eu acho muito interessante no Tema do Miguel tem a ver com esta desconfiança, não é que no fundo seja uma desconfiança, seja uma piada fácil. Há aqui um medo? Absoluto que esta extensão da inteligência artificial, várias vertentes da nossa vida e isso não deixa ninguém indiferente. Aliás, nós temos até vários personagens de nossa que temos como referência do nosso cotidiano que têm feito alertas. Estou-me a lembrar, por exemplo, o físico britânico Stephen Hawking, que quando morreu, disse que o desenvolvimento da inteligência artificial é algo que fosse completo. Aliás, vou repetir o desenvolvimento da inteligência artificial completa pode significar o fim da espécie humana. E o Elon Musk, embora seja um investidor do apanhei, ele próprio também já disse em várias conferências, que atenção que ISTO dentro de empresas privado. Mas pode gerar um problema, por isso é que ele é defensor desta organização sem fins lucrativos. O próprio cofundador da Apple, Steve Wozniak, também já acumulou desta preocupação. Em resumo queria só talvez fazer uma reflexão a em relação a primeira frase que o Miguel referiu à bocadinho, Eu Não tenho a certeza se que se o primeiro impacto deste Tema da inteligência artificial esteve diretamente relacionado com os mártires, eu confesso, acho. Eu acho que não. Eu acho que a primeira área foi a área criativa. Estamos a falar designer dos tador escritores, vídeo makers a, ou seja, profissionais, diria.
Orador 5
Bem dentro do departamento de marketing. Atenção, OK, quando eu disse aquilo é dentro do departamento criativo, pronto, mas mas sim, percebo o que tu fazes.
Orador 4
Ok. Isso são coisas diferentes. Sim, eu acho que este medo cresce à medida que os algoritmos têm ficado mais inteligentes para. A área criativa porquê? E só sintetizando coisas que já falamos em em podcasts anteriores. No último podcast, eu falei sobre a senti zea que é e mas temos outros, temos ALAEO maka vídeo que são que geram vídeos a partir de frases escritas, o DOL a ADAL e o medo gera o alenza que cria ilustrações a partir de imagens ou comandos de texto. A novel Ai ia ri tar, que são capazes de iniciar e construir narrativas literárias e o Tema central que o Miguel trouxe. Dentro do PT, que é um robô de conversa que consegue responder a questões complexas. Portanto, ISTO para dizer que é, acho que realmente aqui no início do IPI, aliás, acho que o próximo Tema do Diogo vai precisamente aprofundar esta lógica que é receios sim e perceber como é que nós NOS podemos adaptar.
Orador 2
Muito bem, Diogo, não sei. Se te recordaste daquilo que IAS?
Orador 3
Sim, sim, era só reforçar aqui este este ponto de e que o Miguel já disse no episódio passado. Na verdade que esta questão de todos, NOS termos de tornar um pouco especialista. Mas na elaboração de pronto, o de questões a fazer a máquina não é porque a máquina vai responder mediante as questões que nós AA criarmos, então é muito importante que essas questões sejam bem feitas e isso vai otimizar muito AA forma EEOEO trabalho que que sai depois do depois da.
Orador 5
Máquina eu olha, eu tenho aqui o salário do comentário e eu. Acho que sim. Especialistas em fazer as perguntas a máquina, etc. Nesta fase, esta fase vai durar um ano. Um ano, Diogo. Porto neste momento tu és técnico e tu estás na fase de fazer as perguntas a máquina e retirar o valor. Etc. Quando começarem a surgir as ferramentas e as soluções já preparadas para o negócio, eh pá, porque o tipo do pequeno negócio é o marketing? Tenha de pensar em CP 3, penso é k carregar aqui as faturas todas ou fazer aqui uma operação qualquer de inteligência artificial. Nessa fase, o pronto é irrelevante. Vão haver pessoas como tu a criar, prometem soluções. E o mas o futuro daqui a um ou 2 anos e quando estas ferramentas todas aparecerem, já soluções finais é que eu nem penso em pronto. Eu penso é pá. Escreve aí um artigo para blog.
Orador 3
Os pais sempre necessitar vai sempre necessitar de dar contexto, ou seja, tu vais sempre ter de necessitar de dar contexto e especificidade. A ferramenta não é, senão tu vais ter exatamente o mesmo conteúdo que Oo mesmo conteúdo, o mesmo resultado que a pessoa do lado e às vezes não é isso que queremos, não é? Nós queremos um conteúdo muitas vezes único ou adaptado às nossas características, portanto, tens sempre essa questão de dar o contexto, certo? A máquina e de dares OA especificidade certa que tu necessitas. Para TI.
Orador 2
Eu acho que a parte desculpa. Miguel tinha sido errado. Em parte isso que o Miguel está a dizer, mas as coisas vão evoluir de tal forma que esse contexto falas que é importante. Não é porque os outputs sejam diferentes e mais e mais ajustados àquilo que tu queres. Como resposta, as plataformas estão precisamente a desenvolver-se nesse sentido a serem contextualizadas a um segmento ou mercado de cor. E então os inputs que tu dás já são menores ou são mais contextualizados e os. Outputs são mais. Adaptados o Fred também deu alguns exemplos agora.
Orador 5
Tão tão simples quanto ISTO, o Ricardo com os hotéis AA máquina começa a perguntar, o Ricardo tem uma conversa telefónica, imaginemos o telefone com uma ai. Então e o tipo de texto aqui é para que tipo de cliente é luxo e premium? Não sei quê e tipo, e ele começa a responder. Ele está a dar em putos sem se aperceber, sem ser especialista de inputs nem de promet, é a própria máquina que vai fazer.
Orador 3
Sim fazer deixa deixa-me fazer ISTO, portanto, acho que é a questão, é só acho, acho que vai demorar ainda algum tempo, Eu Não sei quanto tempo, mas AA máquina não pode ser SAB.
Orador 5
Perguntas, não é?
Orador 3
Para de tudo de todo o teu contexto, não é? Portanto, há muita coisa que que a máquina não vai conseguir. O razão pela qual ela não vai conseguir nunca substituir o master, porque não tem todo o nosso contexto da empresa, não tem todo o nosso contexto de de quem nós? Vamos, pelo menos, portanto, vai há muitas, há muitas coisas. Há muita, muita coisa que a máquina neste momento ainda não tem. Estou não estou só a dizer, ou seja, que vai demorar muito tempo até que a máquina consiga ter a acesso ao teu Garmin ou estás a ver, portanto, que tenha para para saber Oo teu a tua idade, o teu, a tua frequência cardíaca et cetera, ou seja, AA, apesar das de de haver já muita tecnologia que já tem essa informação toda, essa conexão vai demorar tempo a conta.
Orador 5
Não tremas, Diogo não tremas.
Orador 3
Ter não é da razão pela qual ainda o meu Google Assistant também ainda não sabe qual é.
Orador 2
Então o papel é bom, não sabe o Google Assistant o teu todo Síria é.
Orador 3
Ainda agora que vi ele lá?
Orador 2
Tudo burro bom.
Orador 5
Eu Acredito que até ao final deste ano vamos ver aqui uma revolução incrível.
Orador 2
Muito bem, e vocês, o que é que acham que ele está a ouvir pela primeira vez e não sabe do nosso Grupo do WhatsApp? Podem aderir a ele através do LINK W ponto marketing por idiotas.pt, o Grupo do WhatsApp onde estamos lá? Nós são muito bons, ouvintes e todas as semanas debatemos e falamos precisamente sobre estes temas e partilhamos a opinião sobre os temas da actualidade e também no grupo do WhatsApp, onde nós partilhamos todas as semanas um conteúdo exclusivo e especial e esta semana temos o documento. Das tendências de e-commerce 2023 pela IFI, portanto, w.i2.pt. Bom Diogo, vamos ao teu Tema que vais falar de uma coisa um bocadinho diferente, não vais falar de aí vais falar de. Ai eu perceber muito.
Orador 3
Daí ai.
Orador 2
Bem, vai falar à? Inteligência artificial estivemos a falar desenhos inteligentes. Vamos falar agora de inteligência artificial.
Orador 3
Não sei como é que ainda não fizemos uma piada de Ai, Ai ai.
Orador 2
Eu ia fazer a Book?
Orador 4
Quá Quá Quá.
Orador 3
Bem, eu acho que muitos de vocês há que NOS ouvem também já pensaram um pouco sobre o futuro com este chat Gpt e com um pouco aqui ou um pouco daquilo que o Miguel também estava a dizer, não é seja para os mártires AA seja especificamente, por exemplo, para SEOE essa resposta ao a resposta ou a questão que eu vos quero lançar aqui. Hoje No No podcast que tem vindo muito tenho vindo muito a cabeça nestes últimos dias, não é que é estas respostas, sendo havendo estas respostas por aí, será que este é se o conteúdo não é, vai estar morto, não é? Ou seja, a ideia de nós muitas vezes conseguimos criar e fazermos conteúdo, trabalharmos em termos de SOAA. Nossa marca não é para que o nosso site seja apresentado NOS motores de pesquisa. Será que isso vai deixar de funcionar? É que, ao contrário dos assistentes de voz. Este conteúdo é que é criado na. Claro, baseado em muito conhecimento online e muita dos sites online, não é? É mas é conhecimento novo, não é da marca XYZEEO sistema não necessita de atribuir em AAAA atribuir a aonde é que se inspirou para criar aquele conteúdo? Ou seja, imaginem vocês criam conteúdo sobre os melhores carrinhos de bebé a 2023 e o sistema simplesmente responde, não é baseia-se na informação que vocês deram sobre cada um do do carrinho e responde que. A melhor opção para o António? É é é o carrinho Jules Xpto não é, portanto, e não necessita de atribuir qualquer há há há copyright não é que seja AA marca que escreveu aquele conteúdo sobre o carrinho, os várias marcas com que escreveram o conteúdo sobre aquele carrinho não é? Portanto, EE, é muito essa ideia é. Como nós protegemos a nossa marca, será que devemos pensar em proteger a marca? Será essa AA ideia? Também não sei, OKEA minha ideia é muito. Isso é perguntar-vos ISTO numa numa entrevista na verdade não relacionada com AE nem com o chat Gpt, o rankin a estava a falar sobre a ideia dele ao ao pensar na sua empresa, não é? E que não havia nenhuma pesquisa, não é mesmo? nos Estados Unidos que fosse específica. Àquilo que a empresa dele faz, não é que é encontrar AA não só influências, mas encontrar mídias redes sociais onde AA minha empresa possa ser relevante e os seus públicos não é? Portanto, é uma coisa muito específica. Ai, segundo ele, não havia nenhuma nenhuma pesquisa que se enquadrasse exatamente com aquilo que eles faziam, né? Então o que ele sugere é que o trabalho do mar tar é exatamente nessas situações. É encontrar quais os canais onde nós conseguimos comunicar. Não é a nossa marca, seja YouTube, redes sociais, relações públicas, TV ou rádio, não é? E tentar então chegar, fazer chegar a nossa marca e criar um valor de marca não é perceptível ao utilizador para utilizador vir ter connosco a enfim, mas a minha, a minha questão para vocês e é essa, será que com estas respostas de de AAEOUS ou está morto especificamente? AE, os mártires são todos evoluir para outra coisa e o que é que nós poder?
Orador 2
Muito bem, Fred, não sei se queres lançar a pergunta.
Orador 4
Acho que a pergunta é Super interessante e cativante, na medida em que nós tentamos sempre que surge algo novo, usar a expressão vamos matar qualquer coisa para que qualquer coisa possa desaparecer, mas.
Orador 3
É pela 1000ª vez, não é?
Orador 4
Exatamente é Diogo, então que nesta nessa e sempre há um algoritmo novo pronto já. Morreu, já morreu alguém? Em resumo é, eu acho que houve uma frase importante que o Diogo é, referiu no Tema antes. Amor que é o contexto, contexto, a inteligência artificial sobre as perspectivas da empresa e o que quer fazer e não NOS esqueçamos de de algo importante que não foi referido ainda por muita vontade, que é inteligência artificial, tenha na recomendação de melhor quer que seja, há uma hierarquia dentro da empresa que pode opinar de forma diferente só. Sim e o marketeer, não sendo muitas vezes o dono da empresa e sendo Middle man, sendo uma pessoa que faz recomendações, mas depois o dono da empresa é que vai decidir ou administração ou borda, ou a fuga ou ou qualquer que seja a hierarquia da empresa com várias pessoas pode acontecer que não eu quero desta forma, é assim que vai ser, porque assim é que eu acho e não portanto, isso será sempre algo que será presente na vida das empresas, mas essa. Sinto que usou na empresa, vai pelos melhores recomendações da Agência do Consultor ou do Profissional que foi contratado para desempenhar de acordo com os seus conhecimentos. Aquela função, realmente, eu acho que nós estamos todos nós, todos estamos a viver uma adaptação. No entanto, felizmente também ner DS ou, como em outras áreas que dizem respeito ao a ao trabalho de projetar o nome da marca. Às vezes, nós precisamos de fazer os testes AB para para saber o que é que tem eco numa audiência e não tem eco noutra audiência, portanto, acredito que para muito pouco seja a. Máquina e de. Certeza que é boa, porque vai buscar de melhor se faz. Para aquilo que. Ele acredita ser o TARGET ideal, terá que sempre ser necessário fazer testes e preços, testes e criatividade humana.
Orador 2
Muito bem, Miguel.
Orador 5
Eh Pá, Eu acho que a pergunta é tão é tão profunda que até é estranho. Vamos ela com tanta simplicidade, não é a eu acho que ISTO aqui parece aqui um bocadinho. A questão do e-mail marketing é que o e-mail marketing todas as semanas morria, depois voltava e depois morreu outra vez e depois foi ressuscitado e depois afinal, e depois na altura que se começou a falar pela primeira vez dos filtros de spam, achava-se que e-mail marketing ia morrer e nós podemos ver aí com uma espécie de um filtro de spam, não é? Se formos a pensar nesta nesta forma. Ver o mundo antigamente era bar aberto para chegarmos até ao à caixa de de. Inbox de pessoa. Hoje em dia vamos começar a passar por mais filtros, OK, mas eu acho que é mais profundo que isso, eh pá, até por um pelo diagrama que eu desenhei aqui agora num instantinho. Que vou partilhar com vocês?
Orador 2
Há muito bem, temos.
Orador 5
É que as pessoas.
Orador 2
Não se vê nada à espera, aproxima mais.
Orador 5
Então nossa exato. Orador OK.
Orador 2
Vê-se um pintainho e aí perceber? Orador Não dá. Não dá eu.
Orador 5
Eu, eu depois vou, eu depois vou tentar melhorar aqui esta forma de fazer ISTO numa numa sessão futura, mas pronto. Orador OK.
Orador 5
Nós, basicamente, nós vemos um mundo. Nós somos a pensar como é que nós vemos o mundo através destes dispositivos digitais, né? Nós vemos o mundo através da Google. Os resultados que a Google NOS entrega EOSEO é pá. É uma ferramenta que nasceu para este, para este mundo que é quando eu vou ao Google perguntar alguma coisa ao Google ou pesquisar alguma coisa do Google uece e o ajuda-me a estar NOS primeiros lugares. Não é uma técnica que existe neste mundo. Nós vemos através das redes sociais, não é? Vemos através do chat do WhatsApp, do Telegram, é te. Petra vemos através do e-mail e vemos através vamos começar a ter uma nova Visão do mundo, que é através da inteligência artificial. É pá das ferramentas que vão começar a aparecer, não é? Vão começar a aparecer ferramentas que é tipo pá, eu vou estar a falar com inteligência artificial, ela vai dizer, mas tais resultados se OSEO aí vai ser determinante ou não? Eu, sinceramente, não sei. Neste momento, não sei como é que a inteligência artificial vai dizer que o melhor carrinho para bebé é aquele. Paulo e que é na loja da Joana? OK, não sei como é que a inteligência artificial vai atribuir isso, mas eventualmente no futuro nós vamos ter inteligência artificial a medir o que diz lá ver as reviews, todas de todas as pessoas. Esta review é verdadeira ou não? E tal e vai chegar ali algumas conclusões, OK, claro, e tira te e ainda vai buscar o preço. O desconto vai conseguir acompanhar isso não é, portanto. De vezes que foi entregue. A tempo ou não?
Orador 3
Pá exato.
Orador 5
Whatever, não sei mas OS. Ou como se?
Orador 3
E é fácil e Hoje em dia já tem acesso a isso. Tu já consegues fazer essa pesquisa no chat Gpt?
Orador 5
Sim, mas ainda fazes uma pesquisa muito baseada naquilo que do mundo antigo em que OSEO ajudou, OK?
Orador 2
Do mundo antigo até.
Orador 3
Neste neste, neste neste, neste momento, não é porque ainda não está atualizado, mas a ideia é que fique.
Orador 5
Actualizado O Jogo ainda não percebeu que até ao final do ano eu, eu, eu lembro da primeira vez que eu falei sobre open aí aqui. Neste podcast, o Diogo dizia, não, ISTO ainda falta um anos e eu disse, Diogo, ISTO já está e tu ainda não conheci. Foi foi eu posso ir buscar o áudio, quero essa Graça, eu disse, a inteligência artificial está aí comigo. Exato usei a exatamente eu, eu disse, ISTO já está num nível que ISTO já vai ser uma grande revolução e tal o Diogo não acreditou. Eu posso ir depois, vou.
Orador 3
Gravação depois.
Orador 2
Eu vou olhar para ir buscar.
Orador 4
Depois vou procurar para saber se nome do.
Orador 5
Euromilhões eu depois aviso e eu e eu disse o Diogo disse Brava, eu disse, Não, ISTO é, já ISTO vai ser já também agora, relativamente ao SOS ou vai ter de se adaptar, eu também disse nesse episódio que acreditava que o futuro da publicidade e nós não vamos publicitar. Mais para humanos. Vamos passar a publicitar para inteligência artificial, alguém se lembra? Disso e isso também fui riram se de mim.
Orador 2
Meu Deus.
Orador 5
Disseram que eu era de Hoje. Atiraram me tomates, mas eu disse nós.
Orador 2
Miguel está uma série phone? Orador No segundo.
Orador 5
No futuro nós. Vamos fazer no futuro, vamos fazer anúncios para a inteligência artificial, porque a pessoa vai passar a ver o mundo através da inteligência artificial. Agora OS ou, se calhar, vai evoluir para um SO muito mais focado em fazer garantir com que a inteligência artificial passa pelo nosso site, via aquilo que ela quer. Quer ver? Eu acho que.
Orador 3
Existe uma crise, essa que não necessita depois da marca, não é ele vai ate. A inteligência artificial vai, não é? Consegue fazer o scan de tudo e não, não necessita de atribuir dar atribuição àquele site de Todo estás estás a ao contrário de desse, o da Google que tu consegues ir buscar resultados por lá e consegues ir buscar um retorno mediante o teu trabalho, não é?
Orador 5
Sim mas.
Orador 3
Aqui? Não, não há retorno. Olha sei que o aí decida aconselhar a tua loja mediante a proximidade mediante o preço mediante o premiar-se também pelo teu conteúdo. Da mesma forma com que o Google faz o Google. Não há, não há feelings, não?
Orador 5
É li o que eu acho o que eu acho que faz aqui o Diogo tremer mais um bocadinho, mas acho que é uma coisa que acaba por ser bom, é o seguinte, neste momento é se ó não é democratizado, ou seja, é pá. É preciso ser um grande kurumin para estar a fazer ali as coisas todas como deve ser, e eu acho que isso é uma grande crise de conteúdos. Neste momento nós vamos ao Google e o que NOS aparece não são os melhores resultados de pesquisa são os resultados mais otimizados de pesquisa. As páginas mais otimizadas. Isso deixa de fora. Deixa de fora muita gente e neste momento, talvez a inteligência artificial NOS consiga trazer resultados um bocadinho mais. É pá, mais próximos a do senhor humano comum não é tipo, não tem que ser um especialista de s ou a entregar os resultados, mas é pá, eu acho que OS ou vai evoluir e vai passar. Vai deixar de ser tanto para humanos, mas mais para as intervenções artificiais. Agora, como é, como é que vai funcionar depois? Logo vamos ver, mas vai ser cedo Diogo ser rápido e impactante na tua vida.
Orador 1
Ei Ai ei.
Orador 2
Muito bem, muito bem. Muito obrigado. Obrigado. Thomas Edison e Miguel desculpa. Bom Malta, NOS passamos. No assunto ao Tema do Fred, só relembrar quem está a ouvir pela primeira vez, por favor, subscrevam o nosso podcast e avaliamos se gostarem dos episódios que. Lá estão muito bem. Fred tu vens falar, então tu sim, vais falar de outro Tema que nada a ver com a inteligência artificial.
Orador 4
Tem um cheirinho fica um aviso, tem um cheirinho.
Orador 2
À *******. Não vou lançar aqui um desafio no próximo episódio. Não pode haver nenhum Tema sobre que toque que não estou a brincar. Não tem nada, tem que falar dos assuntos do momento. Isso é que. É importante força para desculpa.
Orador 4
E esse realmente é um suplemento bom. Vou falar sobre o dilema da inovação AA História de 2022 foi a emergência da inteligência artificial, primeiro com o modelo de geração de imagem, incluindo Lee mi jarni, o código aberto stable diffusion e depois. O chat Gpt o primeiro modelo de geração de texto a ser induzido em uma forma importante. Parece-me claro que esta é uma nova era da tecnologia. No entanto, para determinar como essa época poderá evoluir, é útil olhar para trás 26 anos e rever um dos livros de estratégia mais famosos de todos os tempos, chamado de inovation. OPA vou repetir de innovate Ai innovators dilema do autor Clayton Christensen. É o dilema do inovador, não sei se é essa tradução para. Português mas pronto. Esta passagem do português para inglês.
Orador 5
Vai foi um desenho, por favor, que fique?
Orador 4
Embora bom, há uma passagem no livro sobre os diferentes tipos de inovações que gostaria de partilhar com este ilustre painel e com os nossos estimados ouvintes, então abre citação e com uma musiquinha agora por trás para ISTO ficar. Um bocadinho mais agradável. A maioria das novas tecnologias promove um melhor desempenho do produto. Chama estas tecnologias de sustentação. Algumas tecnologias de sustentação podem ser descontínuas ou de caráter radical, enquanto outras são de natureza incremental, o que todas as tecnologias de sustentação tem em comum e que melhora o desempenho dos produtos estabelecidos ao longo das dimensões de desempenho que os principais clientes nas NOS principais mercados têm historicamente valorizado. A maioria dos avanços tecnológicos numa determinada indústria são de caráter. Operador as tecnologias disruptivas trazem o mercado uma proposta de valor muito diferente do que estava disponível anteriormente. Bom, mas disruptiva. Em geral, as tecnologias disruptivas têm um desempenho inferior ao do dos produtos estabelecidos NOS mercados principais, mas tem outras características que alguns dos clientes novos valorizam os produtos baseados em tecnologia disruptivas são tipicamente. Mais baratos, mais simples, mais pequenos e frequentemente mais convenientes de utilizar faz a citação. Bom, parece fácil olhar para trás e determinar se a inovação era sustentável ou disruptiva, analisando a forma como as empresas saíram depois dessa inovação ter chegado ao mercado, se a inovação era sustentável, então as empresas estabelecidas tornaram-se mais Fortes se a tecnologia era disruptiva. Então Presidente, presumivelmente as startups que captaram a maior parte do valor. Ora eu escolhi aqui 3. Épocas muito sucintas da tecnologia que depois até. Ter curiosidade de saber se o painel concorda com elas ou sugere outras. E eu omiti aqui algumas propositadamente. Ora a primeira breve viagem é a época tecnológica do PC. O PC, quando surgiu, era perturbador para quase todos os operadores existentes, numa altura que esses dispositivos começaram a ser mais baratos e ficaram mais rápidos. A Intel e Microsoft dominaram por completo esse segunda viagem tecnológica. A Internet tem agora 63 anos. Era quase inteiramente uma nova inova. Então no mercado e agora estou a pensar na tecnologia que envolveu informação especificamente as redes sociais. EE, podemos incluir aqui a Google, Facebook e-commerce bom terceira época tecnológica sucinta a cloud, a cloud, a computação em nuvem. Eu acho, na minha opinião, que é indiscutivelmente parte da Internet, mas merece uma categoria à parte. Tem 27 anos, surgiu de uma tecnologia disruptiva. Apareceram várias startups, inclui incluindo as SaaS software, as a service e o que eles fizeram foi descascar funcionalidades de operadores históricos para construir as empresas. Estou-me a lembrar, por exemplo, de tecnologias como, por exemplo, a Amazon, Microsoft e Google. A Amazon desculpem. Microsoft é particularmente notável porque a empresa fez a transição do negócio tradicional de software para o serviço faz e em parte porque a empresa já tinha feito AA transição do negócio de software para um modelo de subscrição. Portanto, deixo a pergunta para o. Mel não finalizando já se alguma época tecnológica tecnológica que vocês considerem merecedora de destaque, espera, porque eu vou finalizar só com mais um parágrafo Zinho que é o seguinte, o que é que eu acho notável neste agregado histórico onde eu incluí PC Internet cloud para aquilo que é o caminho que nós estamos a seguir é que alguns dos maiores vencedores em épocas tecnológicas e agora sim, talvez nem Toda A Gente concorda comigo, mas. Acredito eu que muitas dessas empresas eram empresas existentes que estavam alavancar o seu negócio atual para depois mudarem se para um novo espaço, ou seja, não era necessariamente startups. Portanto, à medida que nós estamos a arrancar 2023, ia falar da grande aposta da Microsoft, não opõem e cujo software chave gpt pode compreender e gerar texto conversacional, algo que está a começar a parecer um golpe de génio. A Microsoft planeia usar esta tecnologia do Open e para melhorar os resultados da pesquisa de pink, que foi um Tema que o Diogo falou. Na última sessão, e nós estamos a falar de SEO no Tema anterior. Portanto, o que a Microsoft agora que é fazer é aplicar ISTO para o Word para Outlook para. Geral, automaticamente documentos e-mails usando simples havidos. Aliás, eles anunciaram Hoje que iam investir 10000 milhões no open e, portanto, coisa pouca, não é? Em resumo isso só para tocar aqui neste ponto, que é o seguinte, claro que eu apanhei. Está Longe de ser o único software de desenvolvimento de linguagem para as grandes empresas. Temos a Google a desenvolver a Amazónia, desenvolver a meta de. Vou ver, mas a minha pergunta para vocês, até porque eu apanhei, não foi a primeira. O deep mind do alfabeto foi dos primeiros e é protagonizar este tipo de linguagem. É a seguinte, quanto tempo é que vai durar o hype do Estado gpt? Portanto, pergunta um, se alguma época tecnológica que vocês consideram merecedora de destaque, pergunta 2, quanto tempo vai durar o hype dos atos gpt?
Orador 2
Muito bem, Diogo.
Orador 3
Olha recomeço pela última. Quanto tempo vai durar o hype e começou? É o mesmo da Cláudia. Vai ser uma nova época, não é? Portanto não vai ser 11 hype vai ser. Há uma nova época que tu descreveste agora época favorita, Eu Não sei há. Certamente deve haver aí algures mais épocas aí pelo meio, não é? E pronto para lá daquelas que que que destacasse aqui como como grandes épocas, mas eu diria que aquela que mais me intriga e aquela onde eu fico mais apreensivo com o que vem aí é, sem dúvida, esta época de do do do aí que eu acho que está aqui. Agora é aí que nós estamos a viver agora, porque ISTO vai ser, parece-me que está a ser não só transformador agora e parece que é uma entrada deste deste ai para o mundo inteiro, não é? E parece aparentemente vai acontecer pelos negócios, não é? Depois, passando para o consumidor final é, mas eu acho que não vai parar, aí vai continuar e vai continuar e vai continuar. E não e essa esse é que é o Tema, né? Depois, mais citando mais uma novamente ou não citando, mas voltando a mencionar Oo próprio Domus que. Não é que? É, ele tem muito medo que vem aí em termos de IoT, apreciar o Stephen Hopkins, que estavas AA falar não é a aqui a destruição da humanidade ou o Stephen Hawking foi um bocado mais. Mais a crítico, mas há se calhar, até é por aí, não sei. Portanto, eu acho que esta época que que? Que eh pá, esta época que vem aí acho que vai ser a mais marcante de todas essas que descreveste.
Orador 2
Muito bem, o que não tens previsão 20 minutos, meia hora, 2 meses, 3 meses.
Orador 3
Final da humanidade é o pai. Orador Só que o.
Orador 2
OK pronto vai.
Orador 3
Estás a perceber?
Orador 2
Já percebi Miguel falta aqui alguma época e o Rio Tens alguma previsão aí na tua bola? Carro, Thomas Edison.
Orador 5
O meu o Rio Gpt Pá vai durar mais 3 4 meses.
Orador 2
OK espera. Espera, deixa-me Tomar nota que.
Orador 5
Sim do do Chat Gpt vai durar 3 ou 4 meses podem Tomar.
Orador 2
Ok já tomei nós.
Orador 5
Nota para o futuro.
Orador 2
Onde está a ouvir, por favor, alguém que. Anote o ponham lá no WhatsApp.
Orador 4
Basta digo.
Orador 5
Isso talvez seja. O melhor ponto de divergência entre eu e o Diogo é relativamente Ai Ai. É que ele ainda está a ver o chat GT como como ISTO, mas não os CTT é um. É uma curiosidade. É uma ferramenta zinha que apareceu. ISTO vai ser uma bomba a sério quando chegar a sua ao panorama da solução para o negócio em que o negócio pensa.
Orador 3
Eu o Miguel eu falei daí Eu Não, Eu Não falei de gpt. Desculpa. Eu disse que a época era de.
Orador 4
Espera aí então, mas agora já é a solução para o.
Orador 3
Negócio ouve lá, ISTO é ISTO é o principio, não.
Orador 4
É porque já existe já já soluciona muita coisa.
Orador 5
O que foi dito pronto, então Eu Não estou a falar do daí. Eu estava a falar do do chat Gpt, que foi aquilo que foi perguntado que era tipo, quando é que vai falar disto? Eu acho que os CTT vão, vamos agora ver aqui os próximos 34 meses pessoal a mostrar curiosidades sobre projetos que fez, o que é que recebeu e tal o programador a dizer que se fez aquilo, fez uma programação incrível. Vamos ver o escritor a dizer que aquilo escreveu uma história. Depois fez uma curta-metragem baseada naquela história. Vamos ver uma data de coisas a acontecer, pequenas coisas a, mas acho que até ao final deste ano vão aparecer as primeiras grandes soluções. É pá, eu nem quero imaginar quando o Word, quando o Office estiver integrado inteligência artificial dentro do Office, eu nem quero imaginar o que é que se vai passar, não neste momento, nem consigo imaginar todas as hipóteses que existem. Nós ainda estamos a falar atenção aqui de uma coisa, nós andamos a falar de natural Language processing, eh pá, é disto que nós andamos a falar neste momento é a máquina. Parece que escreve, não é? Quando ISTO se passar para questões de pensamento estratégico para tomadas de decisão, de ação, etc. ISTO pode ser uma coisa do outro mundo, não é? Eu acho que ISTO ainda agora começou. Estamos a ver a primeira aplicação, a primeira representação de inteligência artificial que nós conseguimos compreender. Mas ISTO vem aí uma coisa que vai ser quando ISTO chegar ao mercado, AO mercado empresarial. Vai ser uma Loucura, mas pronto. Relativamente a épocas, é pá, Eu acho que todas as épocas que tu disseste Fred são excelentes, obviamente agora é assim, é pá. Nós vivemos na época da nós vimos nós tem piada que nós vimos ISTO a acontecer praticamente. Mas acho que eh Pá, Eu época da inteligência artificial, acho que vai ser mais marcante porque estamos a viver agora. Não é a da cloud, sem dúvida. Foi extremamente marcante. A da claro também foi uma grande revolução. É pá ideia de eu já não precisar de nada de uma caixa, trazer para casa um CD e uma porcaria qualquer. Todo o meu modelo de negócio da minha empresa está está algures num sítio que eu nem sei onde é que está é pá, eu acho que é são todas importantes, eu acho, mas acho que esta vai ser incrível. Esta de vermos a inteligência artificial vai ser. Nível é aonde eu diria que vai ser a mais marcante, porque. É que NOS. Vai marcar a nós todos, muito profundamente.
Orador 2
Muito bem, bom, eu acho que só deixa acho que não faltou esta era dos.
Orador 5
2 do Smartphone.
Orador 2
Da mobilidade, sim.
Orador 4
Dos mobile.
Orador 2
Do mobile é?
Orador 5
Sim também faltou exatamente.
Orador 2
Ei grande falha agora é que se lembraram todos, há muito bem, portanto.
Orador 5
Que era mais importante.
Orador 2
Até agora e afinal, ISTO vai ser um tijolo, não vai servir para nada. Muito bem, estão os 3 temas desta semana, já sabem se quiserem comentar, deixar alguma nota sobre os temas que falámos aqui tem. Sempre o nosso top.
Orador 5
Olha, posso vocês? É só uma nota e ninguém tocou. Ninguém falou de metaverse, ou seja, é pá o metaverso. Parece que foi dos maiores flops de comunicação ó pá.
Orador 2
Pode sim.
Orador 4
Calma que Nick ou Apple store lá com a.
Orador 3
Percebeu a alma consiste, depende.
Orador 4
Apple calma que a Apple vai lançar agora no.
Orador 2
Tá mas vai lançar calma.
Orador 4
Primeiro trimestre e. Os óculos, portanto, vai voltar outra vez.
Orador 3
À tona tem calma calma.
Orador 5
Está bem, vamos ver, vamos ver.
Orador 2
Vai sair o PS VR 2 cal calma?
Orador 5
Toma as tuas ações da meta não estão tremido, pronto.
Orador 2
Calma cama Oh, pá, mas agora vamos aqui falar da pessoalizar o que é isso? Muito bem, Malta, vamos passar as rapidinhas notícias do marketing digital em Portugal e no mundo mais importantes, então a Microsoft e a outra nem ai estão de facto a trabalhar para fazer o Bing AE concorrer com a Google. O Twitter vai voltar a permitir anúncios políticos. O Tiktok vai criar 5 novas formas para tentar garantir a segurança dos mais jovens. Estas conseguiram desviar 3.4 1000 milhões de euros do sistema de psicoativos em 2022, provavelmente 100 deles foram meus Portugal, apenas 30% das pequenas e médias empresas aceitam pagamentos com cartão, revela um estudo do barómetro de cartões para microempresas, PMs e médias empresas e médias empresas realizados pela imagem da Europa para a Mastercard. Por último, o novo estudo da Marktest, intitulado Os Portugueses e as redes. Sociais revela que a. Grande maioria dos. Utilizadores prefere que as marcas usem. Bom informal e foram estas as rapidinhas. Não sei se querem deixar uma nota breve sobre alguma.
Orador 5
Eu queria.
Orador 2
Peça dicas força.
Orador 5
Queria deixar uma nota muito breve e que era para dizer há bocado ISTO da Microsoft com o Open EE. Esta ligação ao Bing, eu acho que na realidade, neste momento, eles perceberam que o rei vai nu e perceberam que a Google perdeu aqui uma. Perdeu aqui uma oportunidade qualquer. Eles já viram a Google também não Vai Ficar parada, mas já se percebeu que o rei está nu neste momento e a Google neste momento.
Orador 2
11.
Orador 5
As até a Microsoft já pensa nisto do Bing e tal vamos lá reavivá-lo com inteligência artificial. ISTO o mundo vai mudar, vai mudar de alguma forma ao mundo da pesquisa? Vamos.
Orador 1
Eu acho.
Orador 2
Que será que o mundo antigo tá pouco, falou. Hoje é o mundo dos motores de pesquisa, não é? Será que faz sentido no futuro tu ires fazer pesquisas, não é? Será que depois quando tu integrares, aí ai no teu assistente, ISTO agora pode deixar aqui um grande remate final da conversa da. Ai é é. A grande explosão da ai. Será no mercado empresarial ou quando chegar ao mercado consumidor que agora a gente acha, ISTO não é? Mas imagina quando chegar um assistente pessoal que. Que têm intervenção direta nas tuas decisões pessoais do dia a dia, de compras de título profissional, não é?
Orador 5
Tudo o que tudo o que já foi dito por. Mim estou a gozar. Não, mas, mas já tinha já tinha falado disso sobre a Visão, a tua Visão do mundo vai deixar de ser pá vai começar pelo pelo motor de inteligência artificial, não é? Tu vais dizer, Eh, pá diz-me aí 10 sítios para comer rápido, não sei. Quê e tal e aquilo? Pimba Pimba Pimba, pimba, pimba pá mas atenção.
Orador 1
Como 2 sentidos, e.
Orador 2
O coerente o próprio, não é esse o própria marca melhor restaurante. Conseguires Hoje à noite?
Orador 5
Não é exato, há exatamente tipo e que impressione a minha mulher.
Orador 2
Exato exato obrigado desculpa porque é. Que disseste.
Orador 4
E avise me quando já tiver marcado, só quer sentar e não é, não é, não é só marcar e pronto já tiver.
Orador 2
Vítima e eu pago a conta faz tudo iá.
Orador 5
E marca marca Uber marca logo Uber para ir para lá porque já sei que vou beber tumbas e aquilo que de repente junta ali uma data de serviço sim, mas é, mas é que vai ser ISTO e isso não está tão Longe assim. A eu acho que ISTO não está nada Longe. ISTO vai ser este ano ou ano que vem.
Orador 4
É uma comida a funcionar exato.
Orador 2
Muito bem, vamos ver esses sim, tanto muito novo que aí vem bom, antes de fecharmos, temos o momento da ferramenta da.
Orador 5
Vai ser.
Orador 2
Joana com um som típico, um clássico. Acabou por outra vez, já são. Muito poucas pessoas que se lembram deste. Som que eu quero dizer que o nosso podcast, que nós temos muita gente da nossa idade, é mas pronto, manifestem-se.
Orador 5
Só faltava o Google agora, quando se entrega uma daquelas pesquisas com 30000000 de resultados, também fazer esse sonzinho que é para começar a ficar mais vintage.
Orador 2
E pager.
Orador 5
É depen exato apresenta apresentámos tipo 3000000 de resultados é pá, então anos 90 não é anos 2000 e tal eh pá, que já está nessa di cimo exato.
Orador 2
Um clássico. Não, mas é que está-se a reviver outra vez dos anos 90. Bom, realmente, da semana desta semana nós trazemos o Flow GT Tema da festa do Gpt flor gpt.com Eu Não sei quem deixou cá essa sugestão, não sei se foi o Diogo, possivelmente. Mas eu entendo que seja 11 site que esteve no pronto exatamente. É e que o que tem e tem muitos prontos gpt EE têm a categoria de Trending comments off the week, portanto vocês podem neste neste site ou gpt ver e consultar alguns produtos já feitos. Creio que o Gpt Diogo e depois corrige em o senhor estiver a dizer mal a esta ferramenta, mas fica a dica flowgpt.com é isso, não é?
Orador 5
Exato está muito giro.
Orador 2
É tem algumas sugestões de produtos que podem fazer e os trending flows do. Da da semana mais pesquisados. Bom, é isso, Malta, chegamos ao fim do nosso episódio. Nós e se? Quer deixar algum comentário breve?
Orador 5
Não acho que já foi tudo dito.
Orador 2
Já foi tudo dito adeus, então, antes de irmos agora só relembrar mais uma vez o nosso grupo de WhatsApp W ponto mathindiretas.pt estamos a nós, estão lá os nossos ouvintes, tá? Então conteúdo exclusivo da. Semana para quem não faz, subscrevam e avalie nosso podcast é muito importante para nós e por último, o nosso website marketing por idiotas.pt. Nós, como sempre voltamos a ver na próxima semana, por isso não percam o próximo episódio, porque nós também não.
Orador 5
Tchau tchau.
podcast marketing portugal

Os Idiotas

frederico carvalho podcast marketing por idiotas

Frederico Carvalho

Formador e consultor de marketing digital

Miguel Vieira podcast marketing por idiotas

Miguel Rão Vieira

CEO @ pkina.com / funis.pt

Diogo Abrantes da Silva freelancer SEO, SEA, CRO e Web Analytics

Diogo Abrantes da Silva

Freelancer SEO, SEA, CRO e Web Analytics

Escreva pelo menos 1 caractere
WhatsApp Podcast Marketing por Idiotas
spotify Podcast Marketing por Idiotas