🎉Episódio 100 🎊 Tendências de AI, Privacidade e Fusões, Aquisições e Streaming – e100s01

podcast marketing por idiotas

🎉Episódio 100 🎊 Tendências de AI, Privacidade e Fusões, Aquisições e Streaming – e100s01

No episódio desta semana falamos sobre Tendências de AI, Privacidade e Fusões, Aquisições e Streaming.

Episódio de: 23 de Dezembro, 2022

Download do podcast

MIGUEL

 https://ortto.com/learn/ai-in-marketing-trends-for-2023/

https://www.spiceworks.com/tech/artificial-intelligence/guest-article/top-ai-trends-to-look-out-for/

2023 odisseia no cyberespaço

Eu começo este episódio 100 por dizer que nós realmente tivemos uma sorte incrível…

Nós somos a geração que viu o mundo sem internet na infância, que viveu os jogos de computador 2D, que viu a internet nascer, que passou pelos desafios dos engates no mIRC, Somos a geração que viu as redes sociais, o ecommerce, o video streaming nascer e que está a assistir em directo à revolução industrial que é a inteligência artificial nascer.

Até 2022 quando se falava de inteligência artificial parecia que era sempre algo que não era bem palpável…era tipo machine learning aplicado em algoritmos de calculo de risco e previsões matemáticas… não era bem perceptivel a todos.

Este ano o mundo ficou ciente do poder da inteligência artificial com a massificação de ferramentas como o JASPER para copywriting, o DALL-E para geração de imagens, o POINT-E que já permite a geração de modelos 3D através de prompts.

Foi um ano de revolução mainstream e por isso trago agora as principais tendências para 2023 no campo da inteligência artificial:

  1.   SELF SERVICE,  ASSISTÊNCIA VIRTUAL E VOICE COMMERCE

Vamos começar a ver cada vez mais serviços powered by Inteligência artificial. Coisas que antigamente tinhamos de pedir a especialistas agora vão ser-nos entregues de forma quase gratuita por inteligência artificial, quer sejam para uso profissional ou pessoal.

2023 vai ser o ano em que vamos falar com robots pela primeira vez no nosso dia-a-dia… e isto vai ser incrível.

Até agora temos falado com robots através de mensagens escritas, nos chatbots etc…já andámos a brincar com as nossas assistentes pessoais no smartphone a fazer perguntas sobre a vida para animar alguns jantares…mas no final de 2023 podemos ligar para uma empresa e falar com uma assistente virtual, por telefone, que nos vai ajudar a colocar uma encomenda ou a resolver um problema de uma encomenda.

Bem aqui em Portugal talvez não…mas nos países early adopters  vai acontecer.

Outro sector que tem tido um crescimento enorme nos estados unidos são as compras por voz, que vão tornar-se cada vez mais uma realidade.

 

  1.   Generative AI vai continuar a crescer

Vamos continuar a ver o crescimento exponencial de conteúdo produzido por inteligência artificial. Eu confesso que este é um dos pontos que me deixa mais nervoso.

Eu acredito que é preciso um talento especial para escrever, desenhar, fazer música ou qualquer outro tipo forma de arte que tenha impacto sobre outros humanos.

Infelizmente a inteligência artificial já dá este poder a qualquer um…e eventualmente acabará por tornar banal aquilo que outrora foi especial.

Um dos artigos que partilhei no nosso site refere o Ben Tibbits um especialista que diz que a inteligência artificial tem um desafio enorme com a massificação:

Se todos começarmos a utilizar as mesmas ferramentas para gerar conteúdo, para medir os resultados e registar as formulas que funcionam…podemos estar perante um cenário que em 12 meses todos os tweets, posts, stories seguem os mesmos formatos.

 

  1.       SUPER ULTRA PERSONALIZAÇÃO

Um dos primeiros temas de que falámos aqui no podcast foi da promessa da personalização das experiências de utilizadores…eu sempre considerei um pequeno flop pois parece que a única personalização acontece nos anúncios que vemos…pois os algoritmos do google e redes sociais conseguem mesmo entregar-nos aquilo que nos faz clicar.

2023 a super ultra personalização vai chegar aos nossos websites.

As ferramentas de analytics combinadas com inteligência artificial vão ajudar-nos a criar experiências altamente personalizadas, desenhadas em tempo real para o utilizador, conforme o seu comportamento passado, mas também presente no momento em que está a interagir com a nossa marca.

– O que acham das 3 tendências?

– Acreditam na ideia de que se todos adoptarmos em massa…e dizem por aí que sim…podemos entrar numa crise de conteúdos despersonalizados?

 

DIOGO  

A Privacidade… é ou não uma tanga?

 

Acho que um dos assuntos que nos marcou nestes últimos 100 podcasts foi sem dúvida a privacidade que esteve de certa forma sempre presente no nosso podcast. O Miguel até fez uma música, lembram-se

MUSICA da privacidade é uma tanga – vais ter de me enviar  Ricardo Vieira

A privacidade é na verdade a razão por não termos qualquer ferramenta de Analytics externa ou qualquer medição de conversões por ferramentas de anúncios  no nosso site.

E já agora, para total transparência, temos sim o matomo instalado como também conseguimos ver alguns dos downloads dos nossos episódios através do Spotify, Apple podcast, etc.

Enfim e a questão da privacidade lembra-me de uma definição de privacidade que partilhámos aqui no podcast e que hoje penso ter cada vez mais na cabeça que é:

pode ser considerada informação privada qualquer informação relativa ao utilizador que se mantenha antes e após a sua visita ao nosso website. Por exemplo, se o utilizador tem filhos, essa informação é uma informação que não muda antes e após a sua visita ao nosso site. Ou seja, caso o site recolha essa informação, a informação pode ser considerada informação privada mesmo que não haja identificação do utilizador. 

Eu sei que é uma definição pesada mas é uma boa forma de definir uma informação privada e que nos permite ter em atenção que informação estamos a recolher. 

A privacidade já não é uma  questão para o utilizador ou a empresa passar ao lado agora que as maiores multas após a aplicação de RGPD são:

  • • €746,000,000 to Amazon (July 2021)––yes, that is nearly a billion dollars 
  • • €405,000,000 to Meta (Sept. 2022) 
  • • €265,000,000 to Meta (Nov. 2022) 
  • • €225,000,000 to WhatsApp (Sept. 2021)
  • • €90,000,000 to Google (Sept. 2021)

E atenção que o RGPD permite multas apenas até 4% do Revenue da empresa mas o Digital Service Act que entra em ação a Fevereiro de 2024 permite até 10% ou 20% de revenue total. 

Com estes tamanhos de multas a verdade é que têm assustado muitas empresas em nem quererem ter qualquer dado privado e isso deu origem a este novo conceito do Zero party data onde as empresas começam cada vez mais a concentrar-se na informação prestada na altura pelo utilizador. Ou seja, se o utilizador clica na opção de carrinhos de bebé dos 0-3 meses, o siste adapta-se a essa informação em vez de a guardar numa base de dados. Acho que sem dúvida cada vez mais um conceito a explorar.

Bem e vocês meus amigos e Miguel, para onde pensam que isto vai evoluir? O que pensam desta questão da privacidade online?

 

                                                                                                

FRED

 

O meu tema do ano são as fusões e aquisições.

 

Como sabem as empresas realizam aquisições por razões compreensíveis; maior é melhor, uma vez que as grandes empresas têm vantagens em termos de redução de custos, nomeadamente impostos. E, é claro, as grandes empresas deitam as mãos a um talento extra, que chega com pouco esforço de aquisição, que lhes permite estimular a inovação e o crescimento futuro.

 

De acordo com a análise da McKinsey sobre o mercado global de fusões e aquisições, a America é o trader mais ativo com 48% de quota de mercado. A participação da Europa aumentou ligeiramente sendo agora de 28%. Em 2021 era de 26% 

 

Ora bem, podemos relembrar a aquisição da Microsoft em janeiro, da empresa líder de desenvolvimento de jogos a Activision Blizzard. Se os reguladores não chatearam, a coisa avança e estamos a falar de um negócio de 68 mil milhões. A Microsoft estava com fomeca, e comprou a Nuance que tem foco na inteligência artificial por 20 mil milhões. Em setembro recordo a compra da Figma pela Adobe por 20 mil milhões. No final do ano fomos brindados com a aquisição do Twitter por 44 milhões

E haveria muitos outras aquisições ou fusões super interessantes para relembrar, mas para isso podem ouvir alguns dos nossos episódios sobre o assunto.

 

Agora…sair de uma pandemia única na vida colocou-nos, de facto, num ambiente económico palpitante em 2022.

As incertezas persistentes da COVID-19 mantêm-se, e as questões geopolíticas têm espinhos, no mercado empresarial.

 

Na transição para 2023, há uma pergunta curiosa:

– Porque é que as empresas de tecnologia estão a gastar tanto para expandir em streaming?

 

Vi notícias recentes que reportam que o YouTube vai pagar 2,5 mil milhões de dólares por ano para ter os direitos de transmissão dos jogos de domingo, da NFL a (National Football League) a liga profissional de futebol americano dos Estados Unidos. 

Presumivelmente, o YouTube quer utilizar a NFL para ajudar a conduzir subscrições para o seu serviço de streaming Youtube Premium ou YouTube TV (os nomes são parecidos mas são serviços diferentes). - só por curiosidade o YouTube TV custa 54€ por mês

 

A Apple e a Amazon, também saltaram para o mercado do desporto ao vivo, num esforço para reforçar os seus respectivos serviços de streaming de vídeo. 

A Amazon está a pagar pelos direitos exclusivos dos jogos de quinta-feira à noite da NFL.

A Apple está a pagar pelos direitos dos jogos de futebol e de alguns jogos de basebol. 

 

Ambas as empresas tecnológicas não revelam os resultados financeiros do streaming, portanto, não provaram se é ou não rentável, nomeadamente com o custo da programação.

 

O Alphabet pode ter o melhor argumento, dado que é uma empresa baseada em anúncios e proprietária do pioneiro serviço de streaming de vídeo, o YouTube. 

Mas não sabemos quanto dinheiro o YouTube ganha (ou perde).

 

A Amazon, por seu lado, presumivelmente vê o Prime Video como uma forma de impulsionar o comércio electrónico, tornando a sua subscrição Prime mais apelativa. 

 

Quanto à Apple, a transmissão de vídeo é parte de uma expansão mais ampla em serviços de subscrição que são concebidos para aumentar as receitas de serviços da empresa. 

Mas a que custo? 

 

Pergunta: Porque é que as empresas de tecnologia estão a gastar tanto para expandir em streaming? 

Qual foi para vc’s grande aquisição do ano?

Sobre o Podcast Marketing por Idiotas

podcast Marketing por Idiotas é um podcast sobre marketing em Portugal. Neste podcast semanal falamos sobre notícias, irritações e inquietações sobre marketing digital e analógico.

O podcast é apresentado e moderado pelo Diretor de Marketing da Turim Hotéis, Ricardo Vieira e tem como comentadores com lugar cativo o freelancer Diogo Abrantes da Silva, o formador e consultor Frederico Carvalho e o CEO da pkina.com e funis.pt Miguel Vieira.

Ouvir podcast marketing por idiotas

Temas no podcast

01:07
Temas
47:10
Rapidinhas

Neste episódio


Orador 1
A todos bem-vindos ao podcast marketing por idiotas. Neste episódio temos como temas social Commerce. Será que é desta com a Amazon marketing de Influenciadores? Realmente compensa e mesmo a tempo do Natal vamos falar de PlayStation X box, Nintendo. Tudo coisas boas para ficar a saber tudo sobre estes temas e as novidades de marketing desta semana já sabem, deixem ficar por aí. Olá a todos sejam muito bem vindos ao 99º episódio do Podcast marketing por idiotas, o vosso podcast marketing, onde falamos sobre marketing, negócios e tecnologia no Podcast temos todas as semanas 3 temas da semana, as rapidinhas, ou seja, os títulos de notícias que achamos mais relevantes e na semana e por último, a ferramenta da semana, o novo jogo de estatística onde eu Ricardo Olá, o Diogo.
Orador 3
Olá o Fred. Olá io.
Orador 1
Miguel alô, competimos entre nós para vos dar um dado interessante para fingirmos que sabemos alguma coisa, tudo ISTO em marketing por idiotas.pt, onde podem consultar todos os links, notícias e temas que falamos no podcast. Sem mais demoras, Miguel, vamos ao teu Tema, vamos falar de social Commerce? Já falei.
Orador 4
É verdade, eu antes disso olha ontem à noite, tive uma inundação de 20 cm na garagem. Hoje à tarde, disseram que a tempestade ia ser ainda pior. Fomos obrigados a ir buscar a miúda à escola e depois Ping. Mas eu estava na garagem assim de Boxers com galochas, toalhas, baldes e esfregou nas já completamente, já completamente preparado, sem gritar para o céu. É só ISTO para? Mim é pá ISTO teve uma tarde muita muita boa de sol. Esteve agradável exatamente e é exatamente isso que eu sinto que o social Commerce, mas eu espero que desta vez seja diferente. A Amazon decidiu mostrar todos os miúdos do bairro tipo a Tiktok, Facebook, Instagram, etc. Como é que ISTO se faz? Como é que ISTO do do social Commerce ou social shopping? Acho que vai fazer no futuro eles, na passada quinta-feira, anunciaram. Que vou ter? Uma nova funcionalidade dentro da sua app chamada INSPIRE. AE, que querem criar um espaço para marcas e influenciadores e criadores de conteúdos ondas podem partilhar fotos e vídeos de produtos em formato scroll, como nas outras redes sociais. Nesses nesses conteúdos, estarão também links para produtos que estejam na plataforma da Amazon. Ou seja, a pessoa pode fazer a compra logo ali, diretamente e muito rapidamente. Esta funcionalidade vai estar disponível para apenas alguns utilizadores seleccionados nos Estados Unidos. Depois, mais tarde para o resto dos Estados Unidos e depois ainda mais tarde. Para o mundo. A com esta com esta é pá Amazon Mobile APP os utilizadores podem escolher os seus interesses como animais de estimação, Gaming, maquilhagem ou até mesmo chás. Fred que eu sei que tu adoras os chás da da Amazon.
Orador 5
Ar nem sanz de canela e pimenta.
Orador 4
É é pá eu. Eu agora ando a Tomar, mas eu, Eu Não sou tão tão tão alternativo, mas anda a Tomar OSOS cabeça da da.
Orador 1
Lipton OKE, já estamos a fazer pivô, tudo podcast, estamos já fazer aqui algum reúne mento? Não sei tanto pedindo.
Orador 4
Leva muito bom. Exato agora agora é só o Chase, mas sou eu, né?
Orador 1
Ok só para banhar, só para alinhar os chacras conosco.
Orador 4
Exatamente, mas todos nós alinhamos, os nossos chacras com a aplicação e de repente a aplicação começamos a dar é os conteúdos que estão a ser promovidos sobre sobre este produto que nós temos, então. Isso é aqui uma influenciadora que é praticamente Pérsia. Ela diz que os vídeos curtos, uma forma mais rápida e divertida de criar engajamento com sua audiência a ela, diz que o inspira vai ajudar a fazer crescer o seu negócio para dar aos seus seguidores uma forma conveniente fazerem compras durante os seus vídeos, em vez de terem de sair do vídeo, irem procurar por si mesmos produtos da net e, claro, Sandy, pagarem a comissãozinha. Ela diz que esta ideia é genial e dar os parabéns Amazon. Esta decisão vem numa altura em que a Amazônia passar algumas dificuldades na abertura do armazém. Na sua rede. Detalhe é. Mas este temos social comercio continua a dar que falar. Parece que a qualquer momento não sei se vocês sentem ISTO, eu sinto que a qualquer momento vamos ver um Bum incrível, mas com com a Tiktok ou com qualquer outra plataforma anunciar qualquer coisa. Mas na verdade é que passado um tempo, parece que acaba sempre por arrefecer e acabam por sua banda nado. Saban dar as Ideas da. É, eu queria perguntar a vocês, o que que vocês acham disto? Acham que a Amazon em empresa certa para conseguir finalmente fazer descolar o esse comércio no mundo ocidental? Eu chamo um sonho empresa certa para fazer isso, será que faz sentido? É com eles aí, basicamente, é isso que eu trago para vocês.
Orador 1
Muito bem, Diogo, eu acho que vais lançado para falar de s comercio s com s só com s.
Orador 3
Muito bom.
Orador 1
Já foi passado aqui no episódio nisto tanto perdeu a. Graça é verdade, é?
Orador 3
Verdade, eu tenho que 4 pontos, Eu Não sei se é se a Amazon que vai conseguir realmente lançar é Oo esse comércio é é na parte de este, não é que do do do do nosso Globo, não é porque já sabemos como é óbvio que o social comercial é muito vivo, sim, na China não é EE tanto no inseto como. Também no Tiktok chinês é o qual agora me fala o nome que é que é uma coisa engraçada. Nós recebiam, né? Acho que já muitos vocês devem receber, mas é o Tiktok na China não se chama Tiktok, que é uma coisa engraçada. Anyway é, eu acho eu, Eu Não sei se isso vai ser, se vai realmente, Como É Que É Darwin, Darwin exato?
Orador 5
Não dá um EDDO.
Orador 3
Nn boa e o EU eu tenho algumas dificuldades em lezhe já tivemos abordar aqui um pouco, estás continuo aqui é, é o este, continua muito numa ideia de social Commerce parece não estar a resultar ou nós não temos as aplicações ou a socialização que acontece é é No No Ocidente. Orador Né no Ocidente.
Orador 3
No Oriente seria exatamente.
Orador 1
Nós aqui temos um acidente.
Orador 4
Eu estou eu estava ficando naquele lado do mundo, em paz, ouvindo dizer nós. Como estes EPA.
Orador 1
Já Pedro pô.
Orador 4
OPA a pior que isso, isso isso.
Orador 1
Lata caixas, né? Orador Diz muito sobre.
Orador 4
O Sigma é bem.
Orador 3
Uma vez aqui certamente é pontos positivos, não é porque para a Amazônia lançar é este INSPIRE, não é? É verdade é que a Amazon tem um ótimo programa de filiados no maior programa de filiados no mundo. Não é? E tem esse programa de afiliados está na verdade, assim, a disponibilizar a todos esses afiliados AAA quando digo afiliados, digo influências, etc, que tenham o seu código de Afiliado e depois recebem mediante as vendas na Amazon a que consigam ter um retorno imediato e isso sem dúvida, é um salto. É algo muito importante porque é um retorno fácil de medir para qualquer influência e acho que isso é importante. É algo que não temos, não é uma facil. O dado é que temos, por exemplo, no Tiktok ou no Facebook ou no Instagram. Apesar das ferramentas existirem, não é? Ambos Oo Facebook como como Tiktok o Facebook barra meta lançaram já programas marketplace. Para nós conseguimos contratar pessoas, barra, influências, etc. E descobrimos eu influenciar, certo? Para nós não é tão fácil Como Eu criar um conteúdo especificamente só para vender OK é? E como falando aqui de alguém que viu já vários vídeos na Amazon. Porque é a Amazon já tem uma plataforma de vídeo, não é onde vende, é e os vários é. Afiliados podem fazer o seu vídeo as reviews dos produtos e conseguem vender os produtos por aí por esse vídeo e o vídeo realmente ajuda imenso? OK? Eu recordo-me de estar haver 111 caixa de som. Eu vi aquela caixa de som e pensei, é pá ISTO para o Ricardo é capaz de funcionar muito bem para o podcast, mas se recorda Ricardo, acabei depois por te enviar um link e foi exatamente por estar a ver ele Oo este este influenciador barra afiliado AA demonstrar o produto por comp.
Orador 4
Certo, pois, mas tu tu enviaste o link, mas não desgasta a frente. Por isso é que o Ricardo nem comentou.
Orador 3
É um bom. Ponto, sendo que na. Verdade a whisper aqui é muito o aspecto de Tiktok, não é uma coisa muito rápida. Parece AE não parece estar a ver aqui uma questão de, ao contrário, ali do que do que a do que a influenciadora que falava a que dizia que é uma ótima decisão da Amazónia, que é genial da Amazónia, aliás.
Orador 4
Espera fazer crescer o vazio.
Orador 3
Claro EE mas a verdade é que os vídeos muito rápidos não conseguem explorar tão bem o produto e para vídeos rápido rápido de sugestão, já temos muito o Instagram, já temos muito o Tiktok aí o Pinterest, por exemplo, também que é uma ótima bandeira, entendeu? Eu acho que aqui os 4 pontos não é que um só pra resumir é ou ISTO vai ter uma piada ali 11 conteúdo, na verdade, acaba por ter ali uma espécie de conteúdo de Inter tem para utilizador, não é? Ou então não sei se vai conseguir. Mas a aqui um fato muito bom, que é o fato de ser prático, não é para os Afiliados conseguirem fazer um vídeo receberem é de imediato os dados que a Amazônia na verdade tem por sobre cada utilizador. Isso pode ajudar, é aqui, é sobre as compras de cada utilizador. Isso pode ajudar a que a Amazônia tem algum sucesso em vários vídeos chats, as pessoas certas EEE pronto e realmente. Aqui 11 bom. Um físsil claro para o influenciador barra afiliado.
Orador 4
Nós podemos estar, podemos estar per
podcast marketing portugal

Os Idiotas

frederico carvalho podcast marketing por idiotas

Frederico Carvalho

Formador e consultor de marketing digital

Miguel Vieira podcast marketing por idiotas

Miguel Rão Vieira

CEO @ pkina.com / funis.pt

Diogo Abrantes da Silva freelancer SEO, SEA, CRO e Web Analytics

Diogo Abrantes da Silva

Freelancer SEO, SEA, CRO e Web Analytics

Escreva pelo menos 1 caractere
logo podcast marketing por idiotas
Fale connosco:
WhatsApp Podcast Marketing por Idiotas
spotify Podcast Marketing por Idiotas